Cerca de 430 migrantes chegam à costa da Inglaterra em um dia

·2 minuto de leitura
(Arquivo) Grupo de migrantes chega de bote inflável à costa de Deal, sudeste da Inglaterra, após cruzar o Canal da Mancha partindo da França, em 14 de setembro de 2020

Pelo menos 430 migrantes cruzaram o Canal da Mancha rumo à Inglaterra na segunda-feira (19) - informou o Ministério do Interior esta terça (20), um novo recorde diário no momento em que o Parlamento debate um projeto de lei para endurecer o sistema de asilo britânico.

O recorde diário anterior, estabelecido em setembro de 2020, era de 416, conforme a agência de notícias britânica PA.

Segundo a rede BBC, pelo menos 8.000 pessoas chegaram à costa do Reino Unido em cerca de 345 embarcações desde o início do ano, apesar da promessa do governo de Boris Johnson de interromper esta rota de imigração clandestina e de seus reiterados apelos à França para que impeça travessias de seu litoral.

De acordo com o comandante Dan O'Mahoney, responsável pelo monitoramento das águas que separam os dois países, o Reino Unido está experimentando "um aumento inaceitável das travessias de pequenas embarcações pelo Canal da Mancha, devido ao aumento da imigração clandestina na Europa".

"As pessoas devem buscar asilo no primeiro país seguro, ao qual chegarem, e não arriscar suas vidas, fazendo essas perigosas travessias. Continuamos perseguindo os criminosos por trás dessas travessias ilegais", afirmou, no comunicado divulgado pelo Ministério do Interior.

O novo recorde surge em meio aos debates no Parlamento,esta semana, do projeto de lei de reforma do sistema de concessão de asilo promovido pela ministra do Interior, Priti Patel.

Apresentada pela ministra como "justa, mas firme", a proposta já foi denunciada por grupos de defesa dos direitos humanos.

Com esta reforma, o governo pretende desestimular a imigração clandestina e prevê um tratamento diferenciado para os demandantes de asilo, entre aqueles que chegaram ao país de forma legal, ou ilegal.

Durante os debates de segunda-feira (19) na Câmara dos Comuns, a ex-primeira-ministra conservadora Theresa May, também ex-ministra do Interior, advertiu que será um erro enviar requerentes de asilo para centros fora do Reino Unido, enquanto seus pedidos estão sob análise.

O projeto aumenta a pena máxima para os imigrantes que tentarem entrar ilegalmente no país, que passaria dos atuais seis meses de detenção para quatro anos. No caso do tráfico de pessoas, dos atuais 14 anos de reclusão, a pena passaria a ser prisão perpétua.

spe-acc/zm/tt

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos