Cerca de 92% das mães em home office são responsáveis por cuidar dos filhos

·2 minuto de leitura
Tired young mother sitting on sofa and working with laptop and documents while little kids having fun and making noise
Um terço das entrevistadas na pesquisa são chefes do lar ou cuidam sozinhas dos filhos
  • Pesquisa mostra que 92% das mulheres que trabalham em homem office precisam também cuidar dos filhos

  • Entre as que vão para o local de trabalho, 69% das mães deixam os filhos com outras pessoas

  • Mães são as que mais sofrem com pandemia e incertezas no trabalho, segundo a Catho

Das mulheres que estão trabalhando de casa durante, 92% são responsáveis por cuidar dos filhos, que também precisam ficar fechados em seus lares devido à pandemia da covid-19. É o que mostra uma pesquisa da Catho que entrevistou seis mil profissionais na segunda quinzena de abril. As informações são do G1.

Leia também:

A pesquisa mostra que, trabalhando fora ou em casa, um terço das mulheres - tanto em home office como as que precisam sair de casa - são chefes de família e cuidam sozinhas dos filhos. “O número de mães solo no país chega a mais de 11 milhões. São mulheres provedoras do lar que estão sentindo as dificuldades relativas ao cuidado e a sobrecarga de tarefas potencializadas pela pandemia", explica a diretora de Operações da Catho, Regina Botter.

Mães são as que mais sofrem

Do total de entrevistados, 15,5% trabalham em casa e 71% precisam sair para trabalhar. Entre as que vão para o local de serviço, 69% das mães deixam os filhos com outras pessoas, enquanto 19% precisam deixar com os pais e 12% delas levam o filho para uma creche ou escola. 

Já entre os pais que necessitam ir até o local de emprego, 58% deles deixam os filhos com as mães, 36% aos cuidados de outras pessoas e apenas 6% em escolas ou creches. 

Working mom with her sleeping son on her arm while writing on a note pad
Número de mães solo no Brasil chega a 11 milhões

Segundo a diretora de Operações da Catho, as mães são as que mais sofrem com a pandemia e incertezas em relação ao emprego. "Além da enorme quantidade de mulheres que perderam o trabalho, tem também as que precisaram pedir demissão, pois não tinham com quem deixar os filhos e as que entraram em regime de home office e precisaram conciliar os afazeres profissionais com as tarefas domésticas e o cuidado das crianças, que durante a pandemia, estão em casa durante todo o dia”, explica.

Profissionais de saúde

Cerca de 40% das mães que trabalham na área de saúde decidiram não conviver com os filhos para evitar a transmissão da covid-19. Entre as que ainda veem as crianças e jovens, muitas delas fazem plantões de 12h e ainda demoram cerca de duas horas para chegar em casa, ficando com somente um terço do dia para ficar com os filhos. 

“É nesse momento que os amigos e familiares precisam se fazer presentes e formar a tão famosa rede de apoio” afirma Regina. 

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos