Cerimonialista se nega a realizar casamento de lésbicas: 'só caso homem e mulher'

Nos preparativos para o casamento previsto para daqui a dois anos, o casal Bianca dos Santos Ventura, de 23 anos, e Isabella Santiago Pereira, de 21 anos, procuravam cerimonialista para realizar o sonho do matrimônio no litoral. O inesperado aconteceu na ultima quinta-feira, quando um empresário se negou a passar o orçamento por elas não serem um casal heterossexual. A atitude do celebrante chocou as noivas, que vão denunciar a violência sofrida.

Gêmeas nascem empelicadas em maternidade na Zona da Mata mineira; veja vídeo

À deriva no mar da Grécia agarrado a uma bola de praia: homem sobrevive 18 horas

— Procurando por casamentos completos no litoral, numa busca bem genérica mesmo, me deparei com o serviço do Omar Zaracho. Olhei as fotos, o cerimonial dos casamentos e achei tudo muito bonito. Então entrei em contato e foi aí que recebi a resposta negativa, de que não realizava casamento de homossexual. Não foi bacana o que ele fez, então resolvi postar no Instagram para mostrar aos meus amigos o que aconteceu comigo. E foi ai que chave virou, de que o que ele fez era crime — contou Isabella.

Omar Zaracho oferece, além de cerimonia, espaço para festa, decoração e serviços de buffet. A justificativa para se negar a fazer o orçamento para o casal foi de que não realizava casamentos homoafetivos. Nas redes sociais, poucas horas depois de responder Bianca e Isabella, o cerimonialista fez um post afirmando que "a procriação só é possível entre um homem e uma mulher", mencionando Deus e trechos da Bíblia.

A pedagoga Isabella, namorada da engenheira Bianca há dois anos, disse que a resposta de Zaracho foi logo em seguida da informação do nome delas: "sou especializado apenas em cerimônias heterossexuais, portanto não realizo cerimônias homoafetivas", conforme mostra o print abaixo feito pela noiva da conversa entre eles.

Armie Hammer, acusado de canibalismo, está mesmo trabalhando em hotel nas Ilhas Cayman; diz revista

— Sem acreditar eu fui olhar o site dele com mais atenção. Eu só tinha feito uma leitura dinâmica, não tinha me atentado aos detalhes. E foi nessa segunda leitura que eu vi na própria descrição do site ele falando que não realizava casamentos homossexuais. Isso é um caos. Na hora pensei "não é possível, sério que isso tá acontecendo?" eu fui dormir pensando naquilo — contou Isabella, acrescentando que ao compartilhar a história encontrou outro casal de amigas que sofreram uma situação parecida, o que mostrou a gravidade da situação que não era um caso isolado.

A pedagoga compartilhou a imagem com amigos no seu perfil do Instagram, que questionaram Zaracho fazendo comentários na publicação dele. O cerimonialista respondeu a um dos comentários dizendo "não ter como usar as bases da cosmovisão cristã, pois a própria natureza nega a reprodução entre casais do mesmo sexo".

Omar Zaracho, reverendo formado em teologia pelo Instituto Bíblico Rio de la Plata, de Buenos Aires, e em aconselhamento pela University of the Nations, bilíngue e que realiza especialmente cerimônias de casamento em praias na região de Búzios, fez outra publicação. Desta vez no Twitter, comentando a repercussão do caso e que está "sofrendo perseguição da ditadura gay".

Mulher que fez aborto legal após estupro e foi exposta no trabalho: indenização será de R$ 50 mil

As noivas, Isabella e Bianca, disseram ainda que, com a repercussão do caso, foram procuradas por um advogado que se propôs a pegar o caso e dar prosseguimento a denúncia para processa-lo:

— Não vamos deixar isso quieto, homofobia é crime — afirmaram.

O cerimonialista, Omar Zaracho, foi procurado pelo jornal O Globo e até o momento não se pronunciou.

*Estagiária sob supervisão de Alfredo Mergulhão.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos