Chás gelados no verão: refrescantes contra o calor e benéficos para a saúde; veja receitas

Carolina Ribeiro
·6 minuto de leitura

RIO — ‘Ahhhhh’.... quem já não expirou profundamente depois de experimentar uma bebida refrescante durante um dia de forte calor? Além da água, sucos e refrigerantes, uma ótima opção para matar a sede neste verão são os chás gelados, que, além de hidratar, tem os mesmos valores nutritivos da bebida quente. Feitos a partir de folhas, flores, raízes ou cascas, os chás têm propriedades benéficas, como ação antioxidante e anti-inflamatória, e também podem ser digestivos, termogênicos, diuréticos ou calmantes, dependendo dos ingredientes.

Muitos acreditam que, ao gelar o chá, a bebida perca os compostos nutricionais que auxiliam no bem-estar. Mas isto é um mito, garantem especialistas. A explicação é que o método de extração é o mesmo, ou seja, é preciso primeiro fazer o chá quente e depois colocá-lo para gelar. Porém, ele precisa ser consumido até 24 horas depois de pronto, ressalta a nutricionista Isabel Vieira:

— O chá vai perdendo as propriedades benéficas se ficar gelando por muito tempo, o que não será muito vantajoso. O ideal é beber em até 24 horas depois de pronto, um tempo razoável até que parte desses compostos se decomponha — avalia.

Além de refrescantes, saborosos e ótimas opções para hidratar o corpo no verão, os chás, dependendo do tipo, apresentam benefícios para o organismo em função das ações anti-inflamatória e antioxidante, que atuam na prevenção contra doenças crônicas como diabetes e câncer e ainda retardam o processo de envelhecimento. São inúmeras opções e combinações que vão além do tradicional chá mate, e a escolha depende do paladar de cada um, uma vez que todos os chás podem ser consumidos gelados ou quentes.

Ervas como hortelã ou alecrim auxiliam a digestão, enquanto opções como chá verde, chá branco, chá preto e mate – que possuem cafeína — são termogênicos, acelerando o metabolismo e contribuindo para a eliminação de gordura corporal. Já ervas como cavalinha, hibisco ou salsinha são chás diuréticos e ajudam a combater a retenção de líquidos, assim como camomila, passiflora e mulungu são calmantes, ótimas para atrair o sono.

— O consumo a longo prazo é muito benéfico justamente por eles terem caráter preventivo, cada um com as suas qualidades. Se quiser agregar ainda mais propriedades benéficas, é possível acrescentar um limão espremido, rodelas de gengibre ou algumas gotas de própolis — ensina Vieira.

Na hora de preparar, vale seguir uma regrinha para consumir a bebida de forma saborosa e nutritiva. A dica é da nutricionista Anna Fernandes, que orienta a fazer o chá por infusão no caso de folhas e flores: primeiro esquente a água e depois que apagar o fogo, coloque as ervas e deixe abafar entre 5 e 10 minutos. Já para raízes e cascas, use o processo de decocção: coloque-as na água, deixe esquentar por 5 a 10 minutos e depois apague o fogo e deixe em infusão por mais 5 minutos. O processo de gelar a bebida vem em seguida, na geladeira, ou com o uso de gelo.

Outra dica, da nutricionista Isabel Vieira, é que não é preciso ferver a água. Pelo contrário, a ação pode diminuir os benefícios dos chás:

— Muita gente acredita que tem que esquentar água em 100°C e jogar a erva lá, mas na verdade o ideal é que não chegue a ferver. Em torno de 95°, às vezes até um pouco menos, já é possível desligar a água e deixar em infusão. Se a água estiver muito quente, pode queimar a erva, alterar a palatabilidade (sabor) do seu chá e fazê-lo perder parte das propriedades que são termicamente menos resistentes — explica, ressaltando que no caso de decocção, o risco de isso acontecer pode ser menor.

Anna Fernandes acredita que todos deveriam criar o hábito de consumir chás, em jejum, ao longo do dia ou antes de deitar, mas com orientação médica. De acordo com a profissional, os nutrientes do chá são mais bem aproveitados quando se está em jejum. Assim, o organismo trabalha os objetivos da erva consumida e prepara o aparelho digestivo e demais órgãos para receber os alimentos.

Porém, apesar de preparados com ervas naturais, alguns cuidados devem ser tomados em casos específicos, lembra a profissional, como os de gestantes, lactantes e crianças, já que algumas ervas podem causar efeitos colaterais, incluindo o aborto. A orientação também deve levar em conta a combinação de chás com algumas medicações, o que pode alterar a eficácia dos remédios, caso da erva de São João e antidepressivos.

— Nenhum chá deve ser consumido em excesso; no máximo até três xícaras por dia, dependendo da erva. As ervas diuréticas, por exemplo, como a salsa ou cavalinha, podem alterar a pressão arterial. O ideal é fazer um rodízio entre os sabores, até para usufruir de benefícios variados — aconselha.

Algumas dicas: chás estimulantes, como chá verde ou mate, não devem ser consumidos após as 18h, pois podem alterar o sono por conta da cafeína. O chá verde, em grandes quantidades e diariamente, também pode causar efeitos colaterais no fígado. Outro detalhe é que o chá de hibisco, quando consumido diariamente e em grandes quantidades, pode afetar a fertilidade da mulher, mas não causa prejuízos em poucas doses. Chá verde com alecrim melhora a concentração, enquanto chá de gengibre com hortelã, limão e abacaxi auxilia a digetão, é rico em vitamina C e tem ação antioxidante.

Chás em sachês ou prontos não têm o mesmo valor nutricional das ervas in natura, aponta Fernandes, mas podem ser utilizados eventualmente. É importante apenas redobrar a atenção com os rótulos: dê preferência para os que não tiverem adição de açúcar e os que tenham menos carboidratos, conservantes e edulcorantes.

Confira algumas receitas:

Chá gelado de gengibre com hortelã, limão e abacaxi

Gengibre

300ml de água

6 folhas de hortelã

Meio limão

Abacaxi

Modo de preparo: Rale um pedaço pequeno de gengibre e faça uma decocção com 300ml de água. Quando apagar o fogo, ponha 6 folhas de hortelã e abafe por 5 a 10 minutos. Coe e quando estiver mais frio, acrescente o sumo de meio limão e bata no liquidificador com uma rodela de abacaxi. Consuma sem coar: as fibras do abacaxi são benéficas para o intestino, ajudam a diminuir o colesterol e a glicose, e aumentam a saciedade.

Chá Verde com Alecrim:

1 colher de sobremesa de chá verde

1 colher de sobremesa de alecrim

250ml de água

Modo de preparo: Faça uma infusão com 1 colher de sobremesa de chá verde e 1 colher de sobremesa de alecrim em 250ml de água. Quando estiver pronto, coe e leve a geladeira.

Mate com hortelã

10 folhas grandes de hortelã

1/2 xícara de mate

1 litro de água

Modo de preparo: Esquente a água e desligue o fogo antes de ferver. Coloque o mate e o hortelã e abafe por 20 a 30 minutos. Coe e coloque para gelar.

Chá de hibisco com gengibre:

2 colheres de sopa de hibisco

1 colher de sobremesa de gengibre em pó

1 limão espremido

1 litro de água

Modo de preparo: Esquente a água e desligue o fogo antes de ferver. Acrescente o hibisco e deixe abafar por 10 minutos. Coe e adicione o gengibre. Coloque para gelar e acrescente o limão na hora de beber.

Casca de abacaxi com canela:

1 casca de abacaxi

2 paus de canela

1,2 litros de água

Modo de preparo: Coloque tudo para ferver por 30 a 40 minutos. Desligue o fogo, coe e coloque para gelar.

Hortelã com limão-siciliano:

1 litro de água

20 folhas de hortelã

1 limão-siciliano

1 rodela de gengibre

Modo de preparo: Coloque para ferver a água com gengibre, e ao desligar adicione a hortelã. Abafe por 20 minutos, coe e acrescente as rodelas de limão antes de levar para gelar.

SIGA O GLOBO-BAIRROS NO TWITTER (OGlobo_Bairros)