Chacina de família: polícia diz que suspeito do crime tinha R$ 40 mil na conta

As altas quantias reforçam uma das linhas de investigação, a de que os detidos tenham matado a família para pegar parte do dinheiro das vítimas.

Suspeito de cometer a chacina de família no Itapoã (DF), Horácio Carlos Ferreira Barbosa, 49 anos, tinha R$ 40 mil na conta no momento da prisão, informou a Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF).

Além dele, outro preso na terça-feira (17), Gideon Batista de Menezes, 55 anos, suspeito de participar da morte de oito pessoas da mesma família, foi detido com R$ 14 mil em espécie.

De acordo com a polícia, as altas quantias reforçam uma das linhas de investigação, a de que os detidos tenham matado a família para pegar parte do dinheiro das vítimas.

Carro carbonizado em que quatro corpos foram encontrados em caso de chacina de família em Cristalina, Goiás (Divulgação/Polícia Militar)
Carro carbonizado em que quatro corpos foram encontrados em caso de chacina de família em Cristalina, Goiás (Divulgação/Polícia Militar)

O delegado-chefe da 6ª Delegacia de Polícia (Paranoá), Ricardo Viana, acredita que os criminosos mataram um por um da família.

“Eles eram amigos próximos da família. Moravam no mesmo lote e sabiam que alguns estavam com dinheiro na conta ou no bolso. Assim, acreditamos que mataram um por um”, disse Ricardo.

De acordo policial, os dois sabiam que a cabeleireira Elizamar da Silva, de 39 anos, estava com uma quantia de R$ 10 mil em espécie para investir no salão de beleza que mantinha na Asa Norte. Já Renata Juliene Belchior, 52, sogra de Elizamar, tinha vendido um imóvel por R$ 400 mil. Cláudia Regina Marques de Oliveira, ex-mulher de Marcos, também tinha comercializado um imóvel por R$ 200 mil.

Nesta quarta-feira (18), a polícia encontrou o cativeiro onde teriam ficado duas mulheres das oito pessoas desaparecidas de uma mesma família. Renata Juliene Belchior, de 52 anos, e Gabriela Belchior Oliveira, de 25 anos, são mãe e filha.

Dez pessoas da mesma família ainda estão desaparecidas. Sete corpos foram encontrados, um deles enterrado e esquartejado no quintal de uma casa que serviu de cativeiro para as vítimas, em Planaltina (DF).

A Polícia revelou que há "indícios" de que as quatro pessoas desaparecidas, ligadas à chacina que executou toda uma família na região, estejam mortas.

Os suspeitos já confessaram ter matado Elizamar e os três filhos pequenos, além de Renata e a filha, Gabriela, 25, que era cunhada de Elizamar. A polícia está em busca de mais corpos nessa quinta-feira (19).