Chacina no DF: quarto suspeito por crime foi alvo de operação contra facção criminosa em presídio em 2018

O quarto suspeito pela chacina que matou uma família inteira no Distrito Federal, Carlomam Santos Nogueira, foi investigado, em 2018, em uma operação da Polícia Civil do DF contra presos em Brasília que se filiaram e se tornaram membros de uma facção criminosa que age dentro e fora das penitenciárias do país. O nome do procurado aparece na “Operação Prólogo”.

À época, 13 mandados de prisão preventiva e busca e apreensão foram cumpridos no Complexo da Papuda. A finalidade era evitar que o PCC — facção criminosa que surgiu em São Paulo — se instalasse no DF. Até a publicação desta reportagem, a polícia não havia explicado como Carlomam dos Santos foi solto. Na ficha criminal dele aparecem passagens por porte de drogas (maconha), porte ilegal de arma e receptação de carro roubado.

Durante a investigação sobre a chacina da família da cabeleireira Elizamar Silva foram encontradas impressões digitais de Carlomam no cativeiro usado pelos criminosos e também no carro de um dos homens apontados como suspeito.