Champions League: Mbappé x Haaland pode ser o Messi x Cristiano Ronaldo da nova década

Miguel Delaney, do Independent
·4 minuto de leitura

Depois de duas atuações perfeitas, criou-se o cenário quase perfeito para algo grandioso. Erling Haaland deixou o gramado em Sevilha com dois gols decisivos na conta, que levaram a uma vitória contundente do Borussia Dortmund. O atacante fez uma observação sobre os jogos da noite de terça:

— Quando eu vi Mbappé marcar aquele hat-trick ontem fiquei motivado, agradeço a ele.

O norueguês explicou que não fez qualquer tipo de aposta ou desafio com o francês, mas assumiu a responsabilidade por si só.

— Não, não (fiz apostas). Vi Mbappé jogar ontem, ele marcou gols legais, ganhei uma motivação extra com a atuação dele.

A facilidade em sentir para onde isso está levando é tão grande quanto a dificuldade em pará-los. Um sentimento visível no desespero de Gerard Piqué e no medo nos rostos dos defensores do Sevilla.

A questão é se esta semana marcará não só o domínio absoluto das duas jovens estrelas, como também o começo de uma rivalidade esportiva à altura dos dois jogadores que eles estão ultrapassando.

O modo com que Haaland se energizou assistindo Mbappé lembra muitas atuações de Cristiano Ronaldo após jogos perfeitos de Messi.

Essa pode ser uma visão particular do futuro, pensar que esses dois representam o futuro do jogo. Pode ser uma corrida para marcar mais entre Mbappé e Haaland. O palco está pronto, e já há um ritmo acertado. Especialmente se levarmos em conta como a potência dos dois amplifica seus talentos.

As estatísticas de ambos já são impressionantes, algo que também lembra o auge de Ronaldo x Messi. E não são apenas os 18 gols de Haaland em 13 jogos de Champions: desde que o norueguês fez sua estreia na competição, em 2019/20, a nova dupla fez quase o dobro de gols dos antigos bastiões. Haaland e Mbappé somam 28, contra 15 de Messi e Ronaldo.

A sensação é reforçada por quão apagados os dois mais velhos estiveram. Messi esteve longe do gol, até porque já não é mais a espécie de raio supersônico do qual falavam do mesmo jeito que falam sobre Mbappé hoje. Pelo menos, ajudou a criar um pênalti e o converteu. Ronaldo mal tocou na bola na derrota da Juventus para o Porto, apenas reclamou com a arbitragem.

Os prováveis preços e interesses gerados por Mbappé e Haalando apenas enfatizam isso, especialmente se levarmos em conta os últimos contratos assinados por Messi e Ronaldo. è como se tivéssemos chegado ao ponto de questionar se eles valem isso tudo atualmente. Não apenas isso, eles precisam que seus times joguem de certa maneira, quase que montados ao redor deles, um estilo fixo que não é o melhor para o jogo moderno e fluido.

O maior problema, porém, é que eles consomem muito dos orçamentos de suas equipes e acabam embarreirando possíveis renovações, que são a única forma de introduzir o tipo de intensidade jovial que Mbappé e Haaland personificam. Não podemos esquecer que Messi e Ronaldo receberam, virtualmente, mais do que quaisquer outros jogadores na história.

Entrando na discussão envolvendo o Barça e o vazamento do contrato de Messi, o argentino é o jogador do clube que vale tal quantia de dinheiro. O problema são as outras decisões que foram tomadas ao redor. Imagine que o clube tivesse economizado o dinheiro gasto em Coutinho, Griezmann e Dembelé para comprar Mbappé. Ainda assim, não é culpa dos jogadores que o clube tenha oferecido tais contratos.

Há ainda a ampla certeza de que Messi e Ronaldo, mais do que ninguém, são capazes de virar o cenário, ofuscar o futuro e mostrar que eles seguem vivos no presente, são os mestres. Ronaldo pode destruir a vantagem do Porto com dois cabeceios em casa. Messi pode se inspirar no que fez contra o PSG em 2017.

Eles continuam muito talentososo, mesmo que longe do auge físico. Podem fazer esse assunto se tornar bobo e, juntos, passar por cima de uma nova rivalidade. Mas a disputa entre Mbappé e Haaland não é um assunto que tenha surgido do nada.

Não é a primeira conquista de Mbappé sobre Messi. O prefácil dessa história foi a partida das oitavas de final da Copa de 2018 entre Argentina e França. Haaland, por outro lado, teve toda a Europa atrás dele por quase um ano, e toda a Europa com medo dele logo após.

Isso é o que eles fazem. Eles podem ser não apenas grandes jogadores do futuro próximo. Podem ser a próxima grande rivalidade do jogo.