Chanceler argentino diz que Bolsonaro deve ter reunião bilateral com Fernández em 1º de março

.

BRASÍLIA (Reuters) - O chanceler argentino, Felipe Solá, disse nesta quarta-feira que o presidente Jair Bolsonaro e o presidente da Argentina, Alberto Fernández, devem ter uma reunião em 1º de março no Uruguai, por ocasião da posse do novo presidente daquele país, Luis Lacalle Pou.

"Existe a possibilidade de que se encontrem (Bolsonaro e Fernández) em 1º de março, no Uruguai", disse Solá a jornalistas, após se reunir com Bolsonaro no Palácio do Planalto.

O chanceler afirmou que há "muita coisa para mudar" na relação com o governo Bolsonaro. O presidente brasileiro fez duras críticas a Fernández --que tem como vice a ex-presidente Cristina Kirchner-- durante a corrida eleitoral argentina, apoiando abertamente a reeleição de Mauricio Macri.

Solá disse ter transmitido uma mensagem positiva e que o possível encontro dos presidentes no Uruguai é um "passo intermediário" para melhorar esse relacionamento.

O chanceler afirmou que o Mercosul não deve olhar para trás, mas sim para frente e que o bloco deve se renovar e se virar para o mundo.