Chanceler da Rússia saúda laços com China diante de "provocações" dos EUA

Ministro das Relações Exteriores da Rússia, Sergei Lavrov, durante entrevista coletiva em Moscou

MOSCOU (Reuters) - O Ministro das Relações Exteriores da Rússia, Sergei Lavrov, saudou nesta quarta-feira os exercícios militares conjuntos de seu país com a China como uma forma de fortalecer a nova parceria estratégica entre as duas nações.

Lavrov acusou o Ocidente de procurar maneiras de enfurecer a China em uma série de questões, tais como o status do Tibete e Taiwan. Ele disse que a China era muito poderosa para que os Estados Unidos se opusessem sozinhos, então Washington estava sendo forçada a "mobilizar" o Ocidente para apoiar sua agenda contrária a Pequim.

A Rússia e a China assinaram uma parceria "sem limites" em fevereiro passado, dias antes de Moscou enviar suas Forças Armadas para a Ucrânia. Os vínculos econômicos entre os dois países se intensificaram à medida que as conexões da Rússia com o Ocidente diminuíram.

Entretanto, o presidente da Rússia, Vladimir Putin, reconheceu publicamente que o presidente da China, Xi Jinping, tem "preocupações" com as ações da Rússia na Ucrânia.

(Reportagem da Reuters)