Chanceler empossado por Castillo desagrada esquerda peruana

·1 minuto de leitura
(Arquivo) O novo chanceler peruano, Oscar Maúrtua

O presidente peruano, Pedro Castillo, empossou nesta sexta-feira Oscar Maúrtua, diplomata de carreira que ocupou o cargo no governo de Alejandro Toledo, como novo chanceler, o que causou descontentamento entre políticos de esquerda.

Após o juramento, um forte aperto de mãos foi dado entre o presidente e o novo chanceler, um advogado e diplomata de 74 anos que não tem laços com os partidos de esquerda que levaram Castillo ao poder.

Entre 1985 e 2002, Maúrtua foi embaixador no Canadá, Bolívia, Tailândia, Vietnã, Laos e Equador. Também foi representante da OEA no México em 2007-2011. Ele ingressou como funcionário administrativo na chancelaria em 1965 e evoluiu até se tornar ministro, nos últimos dois anos de Toledo (2001-2006).

Quando a imprensa divulgou que Maúrtua seria o novo chefe da diplomacia peruana, horas antes da posse, o legislador governista Guillermo Bermejo expressou seu desacordo. “Espero que a notícia que Oscar Maurtúa será o novo chanceler seja uma brincadeira de mau gosto. Uma pessoa alinhada à política intervencionista dos Estados Unidos não pode representar um governo de esquerda”, tuitou.

Castillo nomeou Maúrtua três dias após a renúncia de Héctor Béjar, primeira baixa no gabinete nomeado 19 dias antes, como resultado de declarações polêmicas sobre terrorismo que ele fez em 2020, que geraram a primeira crise política no novo governo de esquerda.

fj/gm/lb

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos