Chanceler iraniano diz que Trump tenta "fabricar" pretexto para atacar o Irã

·1 minuto de leitura

DUBAI (Reuters) - O ministro das Relações Exteriores iraniano, Mohammad Javad Zarif, acusou na quinta-feira o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, de tentar fabricar um pretexto para atacar o Irã e prometeu que Teerã se defenderá com força.

Separadamente, um assessor militar do líder supremo do Irã advertiu Trump "para não transformar o Ano Novo em luto para os americanos".

Zarif disse em um tuíte: "Em vez de lutar contra a Covid nos EUA, @realDonaldTrump & seu grupo gastam bilhões para voar B52s e enviar armadas para NOSSA região. Inteligência do Iraque indica conspiração para FABRICAR pretexto para guerra."

Os militares dos EUA enviaram bombardeiros B-52 com capacidade nuclear para o Oriente Médio em uma demonstração de força para o Irã e implantaram um submarino nuclear no Golfo, de acordo com relatos da mídia.

A escalada ocorre enquanto o Irã se prepara para realizar eventos que marcam o primeiro aniversário da morte do comandante militar general Qassem Soleimani em um ataque dos EUA no Iraque.

"O Irã não busca a guerra, mas irá defender ABERTA e DIRETAMENTE seu povo, segurança e interesses vitais", escreveu Zarif.

Hossein Dehghan, assessor militar do líder supremo aiatolá Ali Khamenei, disse no Twitter: "Vi as notícias de que os americanos estão em alerta por medo de vingança (pela morte de Soleimani) e lançaram dois bombardeiros B-52 no Golfo Pérsico".

"Todas as suas bases militares na região estão cobertas por nossos mísseis. Aconselho o despejado da Casa Branca (Trump) a não transformar o Ano Novo em luto para os americanos", acrescentou Dehghan, ex-ministro da Defesa.

(Reportagem da Redação de Dubai)