Chanceler italiano Di Maio deixa Movimento 5 Estrelas para formar novo grupo parlamentar

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Ministro das Relações Exteriores da Itália, Luigi Di Maio
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.

Por Angelo Amante e Gavin Jones

ROMA (Reuters) - O ministro das Relações Exteriores da Itália, Luigi Di Maio, afirmou nesta terça-feira que está deixando o Movimento 5 Estrelas para formar um novo grupo parlamentar que apoiará o governo do primeiro-ministro Mario Draghi.

A decisão de Di Maio chega após ele acusar o líder do Movimento 5 Estrelas e ex-primeiro-ministro, Giuseppe Conte, de minar o apoio do governo italiano à Ucrânia e enfraquecer a posição da Itália dentro da União Europeia.

A divisão no Movimento 5 Estrelas ameaça gerar nova instabilidade à coalizão com vários partidos de Draghi.

O Movimento 5 Estrelas está cada vez mais preocupado com o envio de armas da Itália à Ucrânia e houve muita especulação de que Conte estaria considerando retirar o Movimento do governo para tentar interromper sua queda nas pesquisas de opinião.

O partido emitiu um comunicado na terça-feira negando categoricamente que isso acontecerá.

“É uma decisão difícil que nunca imaginei que tomaria... mas eu e muitos outros colegas e amigos estamos deixando o Movimento 5 Estrelas”, afirmou Di Maio em uma entrevista coletiva.

Di Maio, em desacordo com Conte há meses, não indicou quantos parlamentares do Movimento 5 Estrelas ele levará consigo, mas disse que a separação significará que o partido não será mais o maior grupo do Parlamento.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos