Chanceler russo desembarca em Bali para cúpula do G20

O ministro russo das Relações Exteriores, Serguei Lavrov, aterrissou neste domingo (13) na ilha indonésia de Bali para participar da cúpula do G20, evento no qual representará o presidente Vladimir Putin.

Na sexta-feira (11), o Kremlin justificou a ausência do presidente russo da cúpula por "problemas de agenda", mas a decisão é entendida como um sinal de isolamento e protecionismo ante as críticas em meio à intervenção militar na Ucrânia.

O ministro russo desembarcou de um avião oficial russo no aeroporto de Denpasar, procedente de Phnom Penh, capital do Camboja, onde participou da cúpula da Associação das Nações do Sudeste Asiático (ASEAN).

Em um comunicado, o Ministério russo das Relações Exteriores pediu ao G20 que se concentre nas questões econômicas, para as quais este fórum com as maiores economias do mundo foi projetado, e não em questões de segurança.

"Rejeitamos categoricamente a politização do G20, a introdução de questões sem relação e deliberadamente conflitivas nas discussões e o isolamento de participantes com base em falsas acusações", disse ele.

Ainda no Camboja, Lavrov havia acusado os Estados Unidos de quererem militarizar a região da Ásia-Pacífico para conter a China.

"Os Estados Unidos e seus aliados, assim como a Otan, estão tentando conquistar a Ásia-Pacífico", disse o chanceler russo a jornalistas, em Phnom Penh.

"Estão planejando uma militarização desta região claramente para conter a China e limitar os interesses russos na região", insistiu.

O Sudeste Asiático é palco de uma crescente rivalidade entre os Estados Unidos e a China, que se enfrentam em uma luta por influência econômica e de segurança.

O presidente americano, Joe Biden, chega a Bali na noite deste domingo.

Antes da cúpula, que acontece na terça e quarta-feiras, ele se reunirá com seu homólogo chinês, Xi Jinping, em um contexto marcado por suas divergências sobre a crise dos mísseis norte-coreanos e o "status" de Taiwan.

Pequim também considera que a aliança Quad, grupo de segurança que inclui Austrália, Estados Unidos, Japão e Índia, é uma tentativa de isolá-la na Ásia.

gmo/lgo/fio/dbh/meb/tt