Chanceler se irrita com presença de Eduardo Bolsonaro em reunião privada

Presença de Eduardo Bolsonaro no encontro a portas fechadas entre os presidentes não foi bem encarada pelo chanceler brasileiro. (Foto: Alan Santos/Presidência da República)

O chanceler Ernesto Araújo ficou irritado após a participação do deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) no encontro entre os presidentes Jair Bolsonaro e Donald Trump nesta terça-feira (19), em Washington, nos EUA.

As informações são do jornal Folha de São Paulo.

Araújo não participou da reunião privada entre os dois líderes realizada no Salão Oval da Casa Branca. Pessoas que estiveram presentes durante o momento de irritação afirmaram à Folha de São Paulo que a ira de Araújo se deu após ler o blog da jornalista Míriam Leitão, do jornal O Globo.

No texto, a jornalista afirma que o Itamaraty saiu rebaixado com ida de Eduardo para o encontro com Trump e diz que, se Araújo tivesse “alguma fibra”, ele pediria para deixar o cargo.

Leia mais
Bolsonaro pede desculpa após acusar imigrantes

O comportamento de Araújo foi classificado pelos presentes como instável. Foi o ministro da Economia, Paulo Guedes, que tentou acalmá-lo.

Após o encontro, Eduardo Bolsonaro disse que o próprio Trump o chamou para participar da reunião. Em entrevista realizada após o pronunciamento público, Bolsonaro pai fez questão de ressaltar que o convite foi feito por Trump.

O presidente norte-americano, assim como Bolsonaro, valoriza os laços familiares e costuma incluir sua filha Ivanka em eventos às vezes reservados apenas para autoridades.

O secretário de Estado dos EUA – cargo equivalente ao de ministro das Relações Exteriores -, Mike Pompeo, está em viagem no exterior e não participou em nenhum momento da agenda de visitas de Bolsonaro aos EUA, portanto, não seria esperado que Araújo estivesse na reunião a portas fechadas.