Chanceleres vão se reunir nos EUA para coordenar luta contra EI

O secretário de Estado, Mike Pompeo, fará uma reunião em 6 de fevereiro de 2019 com os 79 membros da Coalizão Glocal para Combater o Estado Islâmico

Os ministros das Relações Exteriores de todo o mundo se reunirão na semana que vem, em Washington, para coordenar a luta contra o grupo Estado Islâmico (EI) depois da polêmica decisão do presidente Donald Trump de retirar suas tropas da Síria, indicou o Departamento de Estado americano nesta terça-feira (29).

O secretário de Estado, Mike Pompeo, será o anfitrião da reunião de 6 de fevereiro da Coalizão Global para Combater o EI, que contará com 79 membros, criada pelos Estados Unidos em 2014 em um momento no qual os extremistas tomavam extensas áreas de Síria e Iraque.

"Os Estados Unidos estão determinados a evitar um ressurgimento do EI em Síria e Iraque depois que for realizada a saída das forças americanas, e se mantêm comprometido a trabalhar com a Coalizão Mundial para continuar destruindo os remanescentes do EI e frustrar as suas ambições globais", segundo um comunicado do Departamento de Estado.

"À medida que o EI for derrotado no campo de batalha, a coalizão continuará os seus esforços de estabilização para facilitar o retorno seguro e voluntários dos que foram deslocados pela violência".

Trump, um cético de longa data sobre a participação dos Estados Unidos no exterior, disse em dezembro iria retirar os 2.000 soldados de seu país que estão na Síria e declarou a derrota do grupo Estado Islâmico.

O enviado dos Estados Unidos que contribuiu para construir a coalizão, Brett McGurk, renunciou em protesta pela decisão de Trump e expressou temores pelo futuro da Síria.