Checamos: Bolsonaro faz alegação enganosa sobre Lava Jato

·1 min de leitura
  • Em crítica ao ex-juiz Sergio Moro, presidente omitiu mensagens de procuradores da Lava Jato

  • Episódio conhecido como Vaza Jato mostrou conversas trocadas em aplicativos de mensagens entre membros da Operação

  • Algumas condenações de réus no âmbito da Lava Jato foram modificadas ou anuladas

Durante live realizada na última quinta-feira, 2 de novembro, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) teceu críticas ao ex-ministro da Justiça e Segurança Pública do seu governo, Sergio Moro.

"E outra coisa: na Vaza Jato — eu tenho comigo, nós conseguimos oficialmente muita coisa — os procuradores, por ocasião do segundo turno [nas eleições de 2018], a maioria votou em mim ou no [Fernando] Haddad? Votou no Haddad. Esse é o Sergio Moro", disse Bolsonaro durante live.

No entanto, Bolsonaro omitiu as mensagens trocadas pelos procuradores da Lava Jato que mostravam oposição ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, então candidato à presidência pelo Partido dos Trabalhadores (PT) naquela ocasião.

Bolsonaro durante live realizada na quinta-feira, 2 de dezembro (Foto: YouTube/Reprodução)
Bolsonaro durante live realizada na quinta-feira, 2 de dezembro (Foto: YouTube/Reprodução)

A divulgação de conversas entre Moro e o promotor Deltan Dallagnol, além de outros integrantes da força-tarefa da Operação Lava Jato, ficou conhecida como Vaza Jato. O episódio, revelado pelo site The Intercept Brasil, mostrou que os integrantes da força-tarefa foram contra a possibilidade de Lula conceder uma entrevista à Folhad de S.Paulo antes do segundo turno das eleições presidenciais de 2018, alegando que a conversa poderia "eleger Haddad".

Algumas condenações feitas no âmbito da Lava Jato foram modificadas ou anuladas. Em abril de 2021, o Supremo Tribunal Federal (STF) confirmou a anulação das condenações do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) na Lava Jato. Ainda este ano, a Segunda Turma do Tribunal declarou a suspeição do ex-juiz Sergio Moro na ação penal contra o ex-presidente Lula referente ao caso triplex no Guarujá (SP). O colegiado entendeu que Moro demonstrou parcialidade na condução do processo na 13ª Vara Federal de Curitiba (PR).

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos