Checamos: é falso que ivermectina reduziu casos de Covid-19

·2 min de leitura
  • Ivermectina não reduz casos de Covid-19

  • Vermífugo é ineficaz contra o novo coronavírus

  • OMS não recomenda o remédio para o tratamento da doença

Vídeo que circula nas redes sociais mostra um comentarista afirmando em um programa de TV que o Sistema Único de Saúde (SUS) teria divulgado um estudo que comprovaria que o uso da ivermectina reduziu em 46% o número de mortes por Covid-19 na cidade Itajaí, Santa Catarina(SC). A afirmação é falsa.

É falso que ivermectina reduziu casos de Covid-19. Vídeo com afirmação falsa circula nas redes sociais (Foto: Facebook/Reprodução)
É falso que ivermectina reduziu casos de Covid-19. Vídeo com afirmação falsa circula nas redes sociais (Foto: Facebook/Reprodução)

“Nesse final de semana, congresso realizado em Brasília, congresso mundial de medicina realizado em Brasília, o SUS, quem diria, apresentou um estudo mostrando que a ivermectina reduziu em quase 46% o número de mortes por Covid-19. […] Envolveu uma cidade inteira, mais precisamente a cidade de Itajaí, em Santa Catarina. […] Esse estudo catalogou 220 mil pessoas que, nos dados estatísticos, aqueles que tomaram ivermectina tiveram uma redução de 46% no índice de mortes”, diz o homem em um trecho do vídeo que tem sido compartilhado nas redes sociais.

O vídeo que circula nas redes sociais é parte da edição de 13 de dezembro de 2021 do programa Atualidades Pampa, veiculado pela TV Pampa (RS).

Contudo, o estudo indicado na mensagem foi publicado em formato pré-print, ou seja, não foi revisado por pares da comunidade científica para a validação de seus resultados. Por isso, não é possível chegar a tal conclusão.

Estudo publicado pela Organização Mundial da Saúde (OMS) em março de 2021 sobre medicamentos preventivos “faz uma recomendação forte contra o uso de hidroxicloroquina”, após a análise de seis estudos. Um medicamento é considerado eficaz após passar por estudos clínicos e metodológicos que atestem seus benefícios e riscos.

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) é responsável pela avaliação e aprovação de medicamentos no Brasil. Para um imunizante ser liberado no Brasil o órgão analisa como ele foi produzido, os estudos e embasamentos técnicos que concluíram pela segurança e eficácia do medicamento. Após a liberação do uso em seres humanos, a Anvisa também faz o monitoramento para possíveis eventos adversos.

Grupos antivacina compartilharam o vídeo nas redes sociais para que as pessoas adotem o chamado “tratamento precoce” com hidroxicloroquina e ivermectina – estudos mostraram que as substâncias não evitam a infecção pelo novo coronavírus e tampouco atenuam os sintomas da doença.

A peça de desinformação também foi verificada pela Agência Lupa.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos