Checamos: é falso que vacinas contra Covid enfraquecem o sistema imunológico e causam ‘vaids’

·2 min de leitura
  • Desinformação tem origem em site de teorias conspiratórias

  • Texto distorce dados de estudo não revisado por pares da comunidade científica para a validação de seus resultados

  • Não há relação entre as vacinas contra a Covid e a Aids

Em uma tentativa de reforçar a narrativa mentirosa e negacionista sobre as vacinas contra a Covid-19,grupos antivacina tentam associar a imunização contra a Covid-19 ao desenvolvimento da Síndrome da Imunodeficiência Adquirida (Aids). As alegações infundadas dizem se basear em um texto publicado no site do America's Frontline Doctors, grupo que já difundiu afirmações inexatas sobre o novo coronavírus.

O artigo cita um estudo da revista médica The Lancet que descobriu que a proteção das vacinas contra a Covid-19 diminui com o tempo. Contudo, essa pesquisa ainda não foi revisada formalmente pelos pares científicos.

Alegação falsa não tem embasamento científico (Foto: Facebook/Reprodução)
Alegação falsa não tem embasamento científico (Foto: Facebook/Reprodução)

De acordo com o texto, tal estudo indicaria que “os médicos chamam esse fenômeno [visto] nos repetidamente vacinados de ‘erosão imunológica’, ou ‘imunodeficiência adquirida’, o que explica a elevada incidência de miocardite e outras doenças que os afetam mais rapidamente após a vacina, provocando morte, ou mais lentamente, o que resulta em doenças crônicas”.

“Casos de VAIDS induzidos por vacina estão aumentando devido à vacinação maciça contra o Covid.

Um novo artigo publicado no The Lancet sugere que quanto mais “vacinas” uma pessoa recebe contra Covid-19, mais rápido seu corpo sucumbe a uma síndrome de debilitação imunológica semelhante à AIDS, chamada "VAIDS."

Para ver esta erosão imunológica de uma forma mais ampla:

'"A síndrome da imunodeficiência adquirida por vacina começa imediatamente após a primeira rodada de injeções."

Nos comentários tem 2 links.

Abra no navegador, vá nos 3 pontinhos e coloque em traduzir.

É estarrecedor”, escreveu um usuário nas redes sociais ao compartilhar a peça de desinformação.

O boato com a relação falsa entre a imunização contra o coronavírus e o surgimento da Aids foram endossadas pelo presidente Jair Bolsonaro (PL) durante transmissão semanal em suas redes sociais, realizada no dia 24 de outubro. O Facebook e o Instagram removeram o vídeo do presidente proferindo a falsidade. No dia seguinte (25), o YouTube também excluiu a live por infringir a política de desinformação sobre a Covid-19 da plataforma. Na ocasião, o mandatário brasileiro leu um texto com informações falsas sobre a vacinação. A reportagem do Yahoo! Notícias desmentiu a peça de desinformação.

Uma pessoa não contrai a Aids devido ao enfraquecimento do sistema imunológico, mas em decorrência da infecção pelo vírus HIV, quando há contato direto com o sangue ou secreções de um indivíduo infectado.

O Centers for Disease Control and Prevention (CDC) dos Estados Unidos recomendam a aplicação de doses de reforço devido à diminuição da proteção das vacinas anticovid ao longo do tempo.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos