Checamos: imagem de carcaça de frango por R$ 1,90 é parte de ensaio artístico

·2 min de leitura
  • Peça de desinformação circula pelas redes sociais

  • Montagem é parte de ensaio artístico de fotógrafo

  • Mais de duas mil pessoas compartilharam o post com informação fora de contexto

A perda de renda e emprego, cenário econômico instável, aumento da inflação, além do aumento dos combustíveis e gás de cozinha, levou milhares de brasileiros para a pobreza. Neste cenário, agravado pela pandemia de Covid-19, imagens de pessoas em busca de sobras ou até de produtos rejeitados por supermercados para colocar o mínimo de comida no prato foram registradas ao redor do país nas últimas semanas.

Segundo relatório da Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO) publicado em julho deste ano, cerca de 118 milhões de pessoas começaram a passar fome em 2020.

Registro tem sido compartilhado fora de contexto nas redes sociais (Foto: Facebook/Reprodução)
Registro tem sido compartilhado fora de contexto nas redes sociais (Foto: Facebook/Reprodução)

Essa situação também é alvo de informações distorcidas. Circula pelas redes sociais uma foto que mostra uma bandeja de carcaça de frango vendida por R$ 1,90. A publicação enganosa alega que comerciantes estariam tentando lucrar com pessoas em situação de miséria. “Brasil, celeiro do mundo onde seus filhos passam fome 😢 Estou chocada, pois tem comerciante tentando ter lucro com a miséria”, diz um trecho do texto. O registro, contudo, é parte do ensaio “Mercado da Fome” do fotógrafo Flávio Costa.

Até o momento de publicação desta checagem, mais de duas mil pessoas compartilharam a foto acreditando que tratava-se de uma imagem real. No post é possível verificar que o nome de usuário do fotógrafo aparece em uma parte do registro. A foto em questão foi publicada por Flávio Costa em seu perfil no Twitter na segunda-feira, 18 de outubro. Em um tuíte posterior, o fotógrafo explica que se trata de uma montagem. “Mais uma fotografia que criei para a série Mercado da Fome. Resolvi fazer esse ensaio depois que vi ossos e carcaças de peixe sendo comercializados ao invés de doados”, disse.

Insegurança alimentar no Brasil

De acordo com relatório recente da Rede Brasileira de Pesquisa em Soberania e Segurança Alimentar e Nutricional (Rede PenSSAN), 55,2% das pessoas no Brasil não fazem três refeições por dia. A pandemia contribuiu para o agravamento da insegurança alimentar no Brasil.

Segundo a pesquisa da Rede PenSSAN, 116 milhões de brasileiros se encontram nessa situação - mais da metade da população do país. Desse total, 43,4 milhões de pessoas não tinham comida o suficiente e 19 milhões estavam efetivamente passando fome.

A peça de desinformação também foi verificada pelo Aos Fatos.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos