Checamos: posts enganosos sobre doses interditadas de Coronavac

·1 minuto de leitura
  • Interdição cautelar foi feita pela Anvisa

  • Uso e distribuição dos lotes foram suspensos em todo o país

  • Instituto afirma que as vacinas “estão atestadas pelo rigoroso controle de qualidade do Butantan”

Após o comunicado da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) feito em 4 de setembro, anunciando a interdição cautelar de 25 lotes da Coronovac feitos em uma fábrica não aprovada pelo órgão, mensagens enganosas a respeito da vacina têm circulado nas redes sociais.

Em tuítes analisados pela reportagem, usuários afirmam que os lotes em questão estavam proibidos e que o imunizante teria sido feito em laboratório clandestino, o que não é verídico.

Os lotes suspenso foram feitos em uma fábrica não inspecionada pela Anvisa (Foto: Twitter/Reprodução)
Os lotes suspenso foram feitos em uma fábrica não inspecionada pela Anvisa (Foto: Twitter/Reprodução)

No texto a Anvisa explica que a medida proibindo a distribuição e o uso de lotes envasados em fábrica não inspecionada foi adotada como um ato preventivo: “as medidas cautelares também são um ato de precaução que visa proteger a saúde da população, sendo adotadas em caso de risco iminente à saúde, sem a prévia manifestação do interessado”.

Leia também:

No dia 3 de setembro o Instituto Butantan que desenvolveu a vacina em parceria com a farmacêutica Sinovac, informou à Anvisa por meio de um ofício, que os lotes enviados para o Brasil na apresentação frasco-ampola (monodose e duas doses) foram envasados em uma unidade chinesa não aprovada na Autorização de Uso Emergencial (AUE) pelo órgão regulador.

No documento, a Anvisa explica os termos para o uso emergencial do imunizante: “as vacinas sendo importadas prontas da Sinovac, ou o granel da vacina formulada e estéril, sendo importado da Sinovac para envase e acondicionamento no Instituto Butantan”. Caso tenha qualquer alteração, uma nova análise deve ser feita pelas áreas técnicas da Anvisa.

O governo de São Paulo informou que aplicou 4 milhões de doses do lote interditado, o que corresponde a cerca de 19% dos 21 milhões de imunizantes aplicados no estado. Em nota, o Butantan afirma que as doses suspensas de forma cautelar pela Anvisa “estão atestadas pelo rigoroso controle de qualidade do Butantan”.

Em edição extra, o Diário Oficial da União (DOU) publicou os lotes que foram interditados.

Conteúdo semelhante também foi verificado pelo Comprova.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos