Checamos: PT não votou contra o Auxílio Brasil

·2 min de leitura
  • Post viral faz associação enganosa entre votação da PEC dos Precatórios e programa de distribuição de renda

  • Sigla orientou bancada a votar contra a PEC dos Precatórios e não do Auxílio Brasil

  • O Yahoo! Notícias verificou peças de desinformação sobre o benefício social

Montagem que circula nas redes sociais sugere que o Partido dos Trabalhadores (PT) teria votado contra o Auxílio Brasil, programa de transferência de renda que substituirá o Bolsa Família.

“O PT votou em peso contra os R$ 400,00 para os mais pobres. Não votaram contra o Bolsonaro, votaram contra os mais pobres", diz o texto da montagem. No entanto, a publicação confunde a votação da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) dos Precatórios (PEC 23/2021) com a votação do Auxílio Brasil (Medida Provisória 1061).

Publicação engana ao associar PEC dos Precatórios com Auxílio Brasil (Foto: Facebook/Reprodução)
Publicação engana ao associar PEC dos Precatórios com Auxílio Brasil (Foto: Facebook/Reprodução)

Em 3 de novembro deste ano, o plenário da Câmara dos Deputados aprovou a PEC dos Precatórios por 312 a 144 votos. O PT e outros oito partidos orientaram suas bancadas a votarem contra a PEC. A Proposta serve tanto para viabilizar o Auxílio Brasil como abre caminho para furar o teto de gastos e adiar o pagamento de dívidas públicas do Governo Federal, daí a origem da alegação enganosa. Os parlamentares petistas tentaram barrar a PEC do Precatórios e não o benefício em si, pois existem outras formas de permitir o Auxílio Brasil que não foram consideradas pelo governo Bolsonaro. Assim, o programa de distribuição de renda estaria sujeito à aprovação que aumenta o limite de gastos federais.

O Auxílio Brasil substituiria o Bolsa Família 90 dias contados a partir da data da publicação, ou seja, no dia 7 de novembro. Os últimos pagamentos do programa ocorreram em outubro. A MP 1061 foi publicada no Diário Oficial da União em 9 de agosto de 2021.

O pagamento do Auxílio Brasil virou alvo de informações enganosas desde que o debate sobre o benefício foi proposto pelo governo Jair Bolsonaro (sem partido). A reportagem do Yahoo! Notícias analisou falas do mandatário brasileiro durante a transmissão semanal. Na ocasião, Bolsonaro omitiu o drible no teto de gastos para defender o Auxílio Brasil e recentemente um link enganoso para cadastro no programa social circulou no WhatsApp.

O conteúdo também foi verificado pela Agência Lupa.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos