Checamos: vídeo em que passageira se recusa a sentar ao lado de não vacinado é cena de filme

·2 min de leitura
  • Registro foi compartilhado se fosse real, mas é parte curta britânico

  • Trecho do filme foi publicado pelo cineasta da obra

  • Peça de desinformação também circula em outros idiomas

Circula pelas redes sociais um vídeo em que uma mulher se recusa a sentar em um avião ao lado de um passageiro sem o passaporte de vacinação contra a Covid-19. As publicações que sugerem que a gravação é de uma cena real, mas não é verdade.

“Qual é a lógica? Até onde isso irá? Não deveria haver respeito acima de tudo? Queremos saber sua opinião”, escreveu a deputada federal Carla Zambelli ao compartilhar a peça de desinformação em sua conta no Facebook.

Vídeo foi compartilhado como se fosse uma cena real, mas é parte de curta-metragem britânico (Foto: Facebook/Reprodução)
Vídeo foi compartilhado como se fosse uma cena real, mas é parte de curta-metragem britânico (Foto: Facebook/Reprodução)

A gravação foi feita dentro de um avião e uma passageira discute com a aeromoça porque uma pessoa ao lado dela estaria sem o comprovante de vacinação e ameaça até chamar a polícia. Contudo, o vídeo é parte de uma cena de não ficção de um curta-metragem britânico.

A reportagem do Yahoo! Notícias fez uma busca reversa por um frame do vídeo e verificou que a cena faz parte do filme “Covid Flight”. O cineasta Richard Williams, que utiliza o nome artístico Prince EA, compartilhou um trecho do filme em sua página no Facebook, em 1° de novembro.

Inicialmente, o cineasta não sinalizou que o vídeo era uma obra de ficção. Em uma publicação subsequente , foi incluída a frase “For entertainment purposes” (Para fins de entretenimento, em português) na legenda, explicitando o caráter ficcional da obra.

O avião utilizado na gravação pertence à empresa britânica J.A.R.E. Airline Training Partnership. A empresa faz o aluguel de aeronaves para produtoras de TV e sessões fotográficas. Em entrevista à CNN, o diretor da empresa, Andrew Easton, confirmou que a filmagem foi feita na aeronave da empresa e alugada por uma das produtoras do curta-metragem.

A peça de desinformação também circulou em outros idiomas. Nos Estados Unidos, CNN, PolitiFact, Snopes e Reuters também desmentiram a veracidade do vídeo. No Brasil, a filmagem já foi verificada pela AFP.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos