A chef Kátia Barbosa conta os segredos e as receitas de sua ceia de Natal em família

·5 min de leitura

A chef Kátia Barbosa recorda de que quando era pequena, com dez crianças à mesa, o Natal não era uma data muito comemorada. “Éramos muito pobrinhos. Não tínhamos presentes nem farturas. Acho que isso me deixou triste e acabou me traumatizando. Por isso, sempre fui meio avessa aos eventos natalinos. Mas, mesmo nos piores períodos, a rabanada não faltava. Como minha mãe não gostava de leite de vaca, era feita com leite de coco. Fica muito boa”, conta ela sobre a receita que mantém viva (e aprimorada) até hoje. No Kalango, seu restaurante em Botafogo, o doce é servido todos os meses do ano. “Na ceia, volta e meia, tinha um bacalhau, com bastante batata e azeitona para render. Por mais simples que fosse, tentávamos nos reunir e assistir à Missa do Galo”, conta.

Muito por essas recordações, Kátia sempre diz que não gosta da celebração. Mas não é verdade. “Ninguém imagina que assisto a todos aqueles filmes que ficam passando na TV nessa época. É aquele mundo de faz de conta, acho lindo e até choro. Dá para acreditar?”, dá uma gargalhada. “Todo ano digo que não vamos fazer nada. Daí, dois dias antes eu corro atrás de tudo e, quando vejo, temos uma ceia pronta e a família reunida. Já tentei viajar com as meninas nessa época, mas percebo que o que elas querem mesmo é uma ceia tradicional, com pinheiro e tudo mais. Minhas filhas realmente gostam de Natal. E eu, como toda a mãe, faço o que elas querem.” Nesta semana, Kátia foi com a filha mais nova Giovanna, de 23 anos, comprar os enfeites da árvore. “Vem atrasada, mas vem.”

Nos jantares da família Barbosa, nunca podem faltar o bacalhau da filha Bianca e a batata gratinada que Giovanna ama. Agora, com a netinha Madalena, de 4 anos, ainda tem os biscoitinhos decorados — brincadeira que adoram fazer juntas e que colore a mesa. “A Madá pinta os rostinhos dos bonequinhos. Brinco que ela faz uma arte moderna nos biscoitos”, percebe. “Nosso Natal não segue grandes rituais, é simples. Fazemos mais pelo nosso encontro. Mas, é engraçado, quando percebo estou há dez anos preparando os mesmos pratos e acabou virando uma tradição”, admite.

Também chef, Bianca conta que é bem diferente da mãe nesse quesito: “Eu acho Natal o máximo. Realmente amo. Madalena ainda acredita em Papai Noel e adora presentear as pessoas. Nos divertimos muito. Além disso, curto mesmo a comida da ceia. Já chego roubando as cerejas. Minha mãe compra até umas extras”.

Neste ano, Katia conta que o Natal vai ser de um jeito que ela sempre sonhou. Ao lado de Claude Troisgros e sua esposa Clarisse, ela vai fazer uma ceia popular, para cem pessoas em situação de rua. “Não terá nada de quentinha. Vai ser uma ceia linda e farta, com presentes para todos eles. Isso faz muito mais sentido. Natal é dividir, doar, ser generoso. Não me rendo a essa coisa comercial que vem a reboque. É uma alegria enorme participar de um Natal assim ao lado de amigos tão queridos e de coração gigante. Gosto desse espírito de Natal, cheio de amor e mais humano”, diz.

No dia seguinte, Katita já sabe o que fará. “Vou ligar o ar-condicionado nas alturas, colocar um filme natalino bem bobo na televisão e comer rabanada gelada. Acho que essa sobremesa fica muito mais gostosa no dia seguinte, inclusive. Isso é o que chamo de Natal”.

Receitas

Rabanada com leite de coco e creme de tapioca

Ingredientes para a rabanada:

20 fatias grossas de pão de milho

3 ovos

1 xícara de açúcar

1 xícara de leite de coco.

Ingredientes para o creme de tapioca:

1/2 xícara de tapioca granulada

2 xícaras de leite de coco

1/2 xícara de açúcar

1/2 xícara de água.

Modo de fazer:

Bata os ovos com o açúcar até ficar bem claro. Em seguida, adicione o leite de coco. Molhe o pão nessa mistura e deixe descansar um pouquinho. Atenção para não molhar muito, porque o pão de milho é delicado e pode quebrar. Coloque uma colher de manteiga na frigideira e doure o pão umedecido no fogo brando. Reserve. Para o creme, aqueça o leite de coco, a água e o açúcar juntos sem deixar ferver. Adicione a tapioca, mexendo sempre, até hidratar e o creme ficar grosso. Coloque um pouco do creme em um prato fundo e a rabanada por cima. Se quiser, pode passar no açúcar com canela. A dica final é colocar um pouquinho de doce de leite em cima da rabanada.

Rendimento: 20 porções.

Batatas gratinadas da Giovanna

Ingredientes:

500g de batata inglesa

300ml de creme de leite fresco

300g de queijo parmesão ou Canastra ralado

2 colheres de manteiga derretida

Sal e pimenta a gosto.

Modo de fazer:

Com a ajuda de uma mandolina, fatie as batatas e coloque-as em água gelada para não escurecer. Unte um refratário com manteiga e disponha uma camada da batata laminada. Pincele um pouquinho de manteiga nelas. Em seguida, despeje um pouquinho de creme de leite, sal e pimenta e um pouco do queijo ralado. Faça várias camadas dessa mesma forma e encerre com queijo. Coloque no forno a 160 graus por 30 minutos. Com um palito, confira se a batata está macia. Assim que chegar neste ponto, aumente a temperatura para 180 graus e deixe gratinar por alguns minutos.

Rendimento: 4 porções.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos