Chefe da OMS diz que política de Covid zero da China não é "sustentável"

Diretor-geral da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus, durante entrevista coletiva em Genebra

Por Jennifer Rigby e Josephine Mason

LONDRES (Reuters) - O diretor-geral da Organização Mundial de Saúde (OMS) disse nesta terça-feira que a política de tolerância zero da China para a Covid-19 não é sustentável, considerando o que agora conhecemos sobre o vírus, em raros comentários públicos da agência da Organização das Nações Unidas (ONU) sobre a maneira como um governo está lidando com a pandemia.

"Não achamos que é sustentável considerando o comportamento do vírus e o que nós agora antecipamos para o futuro", disse o diretor-geral da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus, em entrevista coletiva.

"Discutimos esse assunto com especialistas chineses. E indicamos que a abordagem não será sustentável... Acho que uma mudança seria importante."

Os comentários chegam após líderes da China repetirem a sua determinação de enfrentar o vírus com medidas duras e ameaçarem agir contra críticos internos, mesmo com lockdowns rígidos e prolongados cobrando um preço alto da segunda maior economia do mundo.

Falando depois de Tedros, o diretor de emergências da OMS, Mike Ryan, disse que o impacto da política "Covid zero" em direitos humanos também precisa ser levado em consideração.

Sob a "Covid zero", autoridades colocam grandes populações em lockdown para conter a propagação viral em resposta a qualquer surto de coronavírus, mesmo que apenas poucas pessoas tenham testado positivo.

(Reportagem de Jennifer Rigby e Josephine Mason em Londres)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos