Chefe de espionagem russo diz que EUA e Polônia planejam divisão da Ucrânia

Sergei Naryshkin, chefe do Serviço Externo de Inteligência da Rússia

LONDRES (Reuters) - O diretor de espionagem internacional da Rússia acusou os Estados Unidos e a Polônia na quinta-feira de conspirarem para ganhar uma esfera de influência na Ucrânia, uma afirmação negada por Varsóvia como desinformação com o objetivo de semear a desconfiança entre os apoiadores de Kiev.

Sergei Naryshkin, diretor do Serviço Externo de Inteligência da Rússia (SVR), citou informações de Inteligência não publicadas que, segundo ele, mostram que os Estados Unidos e a Polônia, aliados na Otan, estão tramando para restaurar o controle polonês sobre a parte ocidental da Ucrânia.

"De acordo com informações de Inteligência recebidas pelo Serviço Externo de Inteligência da Rússia, Washington e Varsóvia estão trabalhando em planos para estabelecer o controle político e militar da Polônia sobre suas propriedades históricas na Ucrânia", afirmou Naryshkin em uma rara declaração publicada pela SVR.

A Polônia negou a afirmação e disse que era desinformação espalhada por Moscou.

"As mentiras sobre os supostos planos da Polônia de atacar a região oeste da Ucrânia tem sido repetidas há anos", disse Stanislaw Zaryn, porta-voz da coordenação de serviços especiais da Polônia.

"O objetivo da propaganda russa é alimentar a desconfiança entre Ucrânia e Polônia, para prejudicar a cooperação entre os dois países."

A Polônia já governou alguns territórios que hoje fazem parte da Ucrânia em épocas diferentes do passado, mais recentemente entre as duas guerras mundiais. A Ucrânia ocidental, incluindo a cidade de Lviv, foram absorvidas pela União Soviética no final da Segunda Guerra Mundial.

(Reportagem de Guy Faulconbridge)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos