Chefe do FBI comparece ante Congresso por suposta ingerência russa

Por Michael Mathes
O diretor do FBI, James Comey, em Boston, Massachusetts, em 8 de março de 2017

O diretor do FBI, James Comey, comparecerá na segunda-feira ante legisladores que o acusam de obstrução ao Congresso e que exigirão respostas sobre possíveis vínculos do presidente Donald Trump com a Rússia e sobre a denúncia de que Barack Obama ordenou a espionagem do magnata republicano.

Estes dois temas explosivos preocuparam republicanos e democratas igualmente durante semanas, levantando incômodas questões sobre um suposto conluio entre Trump e o Kremlim e perturbando o início do novo governo.

Comey testemunhará ante a comissão de Inteligência da Câmara de Representantes em uma audiência aberta para investigar a ingerência da Rússia na campanha eleitoral americana de 2016.

Também está previsto que o diretor da Agência de Segurança Nacional (NSA), Mike Rogers, preste depoimento ante os legisladores.

A comunidade de inteligência dos Estados Unidos acusou publicamente Moscou de ter hackeado servidores do Comitê Nacional Democrata no ano passado, uma alegação que a Rússia negou enfaticamente.

Várias comissões do Congresso iniciaram investigações sobre a suposta interferência da Rússia, incluindo os comitês de Inteligência de Deputados e do Senado, que têm jurisdição sobre 17 agências de inteligência da nação, assim como as comissões de Justiça de ambas as câmaras.

Muitos legisladores manifestaram sua frustração pela falta de cooperação do FBI, a polícia federal, nas investigações sobre a suposta ingerência russa.