Chefe do FMI pede ações mais direcionadas contra Covid-19 na China em entrevista a AP

WASHINGTON (Reuters) - A diretora-gerente do Fundo Monetário Internacional (FMI), Kristalina Georgieva, pediu nesta terça-feira que a China evite lockdowns rígidos para conter os casos de Covid-19 em andamento e, em vez disso, estabeleça ações mais direcionadas, citando o impacto na população e na economia do país em uma entrevista à Associated Press.

Georgieva pediu a Pequim que promova um ajuste em sua abordagem de “Covid zero”, de acordo com a entrevista, divulgada no momento que em protestos contra as políticas sanitárias da China provocam manifestações em várias cidades.

A chefe do fundo também abordou a inflação e os juros, o aumento dos preços de energia e a crise de fome, segundo a AP.

(Reportagem de Susan Heavey)