Chefe de polícia do Capitólio dos EUA diz que mais recursos são necessários para proteger parlamentares

Prédio do Capitólio dos Estados Unidos, em Washington

WASHINGTON (Reuters) - O atual clima político dos Estados Unidos exige mais recursos para fornecer camadas adicionais de segurança física para os membros do Congresso, disse o chefe de polícia do Capitólio norte-americano, Tom Manger, na terça-feira.

As autoridades estão monitorando milhares de casos em todo o país para impedir possíveis ameaças, disse Manger em comunicado, poucas horas antes de o homem acusado de espancar o marido da presidente da Câmara dos Estados Unidos, Nancy Pelosi, com um martelo, fazer sua primeira aparição no tribunal.

Paul Pelosi, 82, sofreu ferimentos graves na sexta-feira em sua casa em São Francisco. A democrata Pelosi estava em Washington no momento.

David Wayne DePape, 42, enfrentou acusações do Estado da Califórnia por tentativa de homicídio, agressão com arma mortal, roubo, abuso de idosos e ameaça a um funcionário público. Acusações federais separadas de agressão e tentativa de sequestro também são esperadas.

"Acreditamos que o clima político de hoje exige mais recursos para fornecer camadas adicionais de segurança física para os membros do Congresso", disse Manger. "Esse plano incluiria uma ênfase na adição de redundâncias às medidas que já estão em vigor para a liderança do Congresso", disse ele sem fornecer detalhes.

O ataque ao marido de Pelosi aconteceu pouco antes das eleições parlamentares de 8 de novembro e segue meses de uma campanha amarga, enquanto os republicanos tentam ganhar o controle da Câmara dos Deputados e do Senado.

(Reportagem de Paul Grand e Richard Cowan)