Chega a 9 número de mortos a tiros em assentamento em Mato Grosso

MARCELO TOLEDO

RIBEIRÃO PRETO, SP (FOLHAPRESS) - A Polícia Civil de Mato Grosso confirmou na noite desta sexta-feira (21) as mortes de nove pessoas numa área próxima a um assentamento na zona rural do município de Colniza, a 1.065 quilômetros de Cuiabá (MT).

O crime foi cometido nesta quinta-feira (20) e a polícia, inicialmente, divulgava o número de cinco mortes. A confirmação de outras quatro pessoas mortas -todos homens- foi possível após equipes das polícias Civil e Militar chegarem ao local do crime. Os corpos ainda não foram identificados.

O local é de difícil acesso -estrada de terra, com muitos atoleiros-, segundo a investigadora Elizangela Nunes. O assentamento fica a 250 quilômetros de Colniza e é acessado por meio de barcos, que estão sendo utilizados para retirar os corpos do local.

Testemunhas disseram que homens encapuzados invadiram o local por volta das 12h e atiraram nas pessoas que estavam no assentamento.

Uma das suspeitas é de que os autores do crime sejam capangas de fazendeiros da região. Segundo a investigadora, nenhuma hipótese pode ser descartada. A perícia da polícia está no local na tarde desta sexta (21).

De acordo com a Polícia Civil, a Gleba Taquaruçu do Norte, como se chama o assentamento, abriga cerca de cem famílias.

A Comissão Pastoral da Terra, órgão ligado à CNBB (Conferência Nacional dos Bispos do Brasil), qualifica o crime como um "massacre" e diz que o lugar tem histórico de conflitos agrários.