Chega a 4 milhões número de mortos por Covid-19 no mundo

·3 minuto de leitura
SAO PAULO, BRAZIL - JUNE 19: Bodies of Covid-19 victims are buried by officials of the Vila Formosa cemetery in Sao Paulo, Brazil, on June 19, 2021. Brazil already has almost 500,000 COVID-19 deaths and shows no signs of a slowdown in the contagion. (Photo by Marcello Zambrana/Anadolu Agency via Getty Images)
Vítimas de Covid-19 são enterradas no cemitério de Vila Formosa, em São Paulo. Foto: Marcello Zambrana/Anadolu Agency via Getty Images
  • Informação foi divulgado pelo diretor-geral da OMS

  • Últimos 1 milhão de óbitos ocorreram em 81 dias

  • Há possibilidade de número ser ainda maior

O mundo ultrapassou a marca de 4 milhões de mortes por Covid-19. No entanto, o diretor-geral da Organização Mundial da Saúde (OMS), Tedros Adhanom, alerta que o número “subestima o total de vítimas”. O Brasil segue com a maior média diária de vítimas da doença.

Demorou 263 dias para que o planeta batesse a marca de um milhão de vítimas. O segundo milhão demorou mais 108 dias para chegar. Nos 93 dias seguintes, morreram mais um milhão, chegando ao total de 3 milhões de vítimas. O quarto milhão foi alcançado apenas 81 dias depois.

"O mundo está em um ponto perigoso nesta pandemia. Acabamos de ultrapassar a trágica marca de 4 milhões de mortes registradas de Covid-19, o que provavelmente subestima o número total de vítimas", afirmou Tedros.

Apesar do pronunciamento do diretor-geral, o painel da OMS reportava na manhã desta quarta-feira (7) 3.988.565 mortes causadas pela Covid-19. O monitoramento da Universidade Johns Hopkins aponta 3.995.703 vítimas e o "Our World in Data", projeto ligado à Universidade de Oxford, 3,99 milhões.

O caso do Brasil

Apesar do número de mortes por Covid-19 no Brasil estar recuando, de uma média de 3,1 mil vítimas ao dia em abril para 1,5 mil na última semana, o país ainda está muito à frente de outros.

O Brasil é o país com a maior média de mortes diárias desde 20 de junho. Ele já esteve no topo do ranking em março e abril de 2021 e junho julho de 2020.

Leia também:

Para se ter ideia, a média de óbitos diários no Brasil, atualmente, é maior que as de Índia e Rússia somadas, nações que no momento ocupam o segundo e terceiro lugar no ranking mundial.

Novos casos e vacinação

Até agora, foram confirmados 184 milhões de casos de Covid-19 em todo o mundo. Além disso, já foram aplicadas 3,2 bilhões de doses de vacinas contra a doença em todo o planeta.

Em relação ao número de óbitos, o Brasil ocupa o segundo lugar, atrás apenas dos Estados Unidos e seguido, em ordem, por Índia e México. Em relação à infectados, o terceiro, e em número de doses totais aplicadas, o quarto lugar.

Veja a lista dos países com mais óbitos registrados:

  1. EUA (605 mil)

  2. Brasil (525 mil)

  3. Índia (403 mil)

  4. México (233 mil)

  5. Rússia (137 mil)

  6. Reino Unido (128 mil)

  7. Itália (127 mil)

  8. França (111 mil)

  9. Colômbia (109 mil)

  10. Argentina (96 mil)

Já os 10 países com mais casos confirmados de Covid-19 são:

  1. EUA (33,7 milhões)

  2. Índia (30,6 milhões)

  3. Brasil (18,7 milhões)

  4. França (5,8 milhões)

  5. Rússia (5,5 milhões)

  6. Turquia (5,4 milhões)

  7. Reino Unido (4,9 milhões)

  8. Argentina (4,5 milhões)

  9. Colômbia (4,3 milhões)

  10. Itália (4,2 milhões)

Em relação à número de vacinados, os 10 países com mais doses aplicadas são:

  1. China (1,32 bilhão)

  2. Índia (351 milhões)

  3. EUA (330 milhões)

  4. Brasil (106 milhões)

  5. Reino Unido (79 milhões)

  6. Alemanha (77 milhões)

  7. França (56 milhões)

  8. Turquia (54 milhões)

  9. Itália (53 milhões)

  10. Japão (50 milhões)

Todos os números são do "Our World in Data", projeto ligado à Universidade de Oxford, e da Universidade Johns Hopkins.

As variantes

A variante gama (P.1) se espalhou pelo Brasil e foi levada a outros países da América do Sul. A cepa é indicada como causadora de uma nova onda de mortes, inclusive em países com vacinação avançada, como são os casos de Chile e Uruguai.

A variante delta foi a responsável pelo grande número de óbitos na Índia. Entre abril e maio, o país passou por um colapso sanitário e hospitalar e bateu todos os recordes mundiais de casos e mortes pela doença.

Esta variante tem se espalhado pelo planeta e causado novas mortes em países dentro e fora do continente asiático, como Rússia, Indonésia, Reino Unido e Israel.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos