Cheia dos rios deve afetar mais de 100 mil pessoas no Amazonas

Bianca Paiva - Correspondente da Agência Brasil*

A cheia deste ano no Amazonas deve afetar pelo menos 100 mil pessoas, de acordo com a Defesa Civil do estado. A previsão é que as fortes chuvas continuem até maio, com impacto no nível dos rios. Mais de 9 mil famílias já sentem os efeitos da enchente nos municípios que estão em situação de emergência na região do Rio Juruá. Segundo o secretário da pasta, coronel Fernando Pires Júnior,  há a previsão de uma cheia de grandes proporções em 2017.

“Hoje nós estamos com cinco municípios da calha do Juruá em situação de emergência e outros dois em situação de alerta. Nós temos a calha do Solimões também em situação de atenção e o Médio e o Baixo Amazonas em alerta. Espera-se para este ano uma grande enchente com mais de 100 mil afetados”, disse o secretário.

O trabalho da Defesa Civil está focado na prevenção. O secretário informou que há um estoque de mantimentos para prestar assistência onde a situação ainda deve se agravar. “Nós estamos com 6,5 mil toneladas disponíveis para que, quando houver a enchente na calha do Solimões, do Amazonas e provavelmente do Purus, nós possamos atender aos municípios.”

Os municípios que estão em situação de emergência já estão recebendo apoio. Uma balsa levando 500 toneladas de ajuda humanitária dos governos federal e estadual está percorrendo a calha do Rio Juruá. Ontem (11) a embarcação passou pelo município de Itamarati e seguiu hoje (12) para Eirunepé. “Enviamos nossos técnicos aos municípios e montamos uma estrutura prévia para receber o material, o que permite que a distribuição da ajuda humanitária seja imediata”, disse o secretário.

As famílias afetadas pela cheia estão recebendo cestas básicas, kits de medicamentos (antibióticos, vitaminas, sais de hidratação, analgésicos), de dormitório (lençol, mosquiteiro, rede), de higiene pessoal e galões de água potável. Além disso, a Fundação de Vigilância em Saúde disponibilizou diversos equipamentos de combate a mosquitos transmissores de doenças e para purificação de água, como pulverizadores, e 10 mil unidades de hipoclorito de sódio para purificação da água.

Estão em situação de emergência os municípios de Guajará, Ipixuna, Eirunepé, Itamarati e Carauari, na calha do Juruá. Manacapuru, no Baixo Solimões, e Tefé, no Médio Solimões decretaram emergência por causa de deslizamentos de terra. Dezesseis municípios das calhas do Solimões, do Baixo Amazonas e também do Juruá estão em alerta e 18, doMédio Amazonas e do Médio Solimões, estão em estado de atenção.

Doações

O Fundo de Promoção Social do Amazonas entregou ontem (11) à Defesa civil do Estado 41 toneladas de alimentos arrecadados durante um jogo de futebol solidário realizado em fevereiro, na Arena da Amazônia. A partida contou com a participação dos lutadores amazonenses de MMA José Aldo e Rony Torres. O tradicional evento de carnaval Bloco das Piranhas arrecadou 2 toneladas de mantimentos. Todas as doações serão destinadas às famílias afetadas pela cheia.

*Com a colaboração da TV Cultura do Amazonas