Chengdu coloca 21,2 milhões sob restrições com cidades chinesas em luta contra Covid-19

Teste de Covid-19 em Chengdu

SHENZHEN, China (Reuters) - A metrópole de Chengdu, no sudoeste da China, anunciou restrições para seus 21,2 milhões de habitantes ao lançar quatro dias de testes de Covid-19 em toda a cidade, enquanto algumas das cidades mais populosas e economicamente importantes do país lutam contra surtos.

Os moradores de Chengdu, capital da província de Sichuan, foram obrigados a ficar em casa a partir das 18h desta quinta-feira, com as famílias autorizadas a enviar uma pessoa por dia para fazer compras, informou o governo municipal em comunicado.

Chengdu, que registrou 157 infecções transmitidas internamente na quarta-feira, é a maior cidade chinesa a ser isolada desde Xangai em abril e maio. Ainda não está claro se o lockdown será suspenso após o término dos testes em massa no domingo.

Outras grandes cidades, incluindo Shenzhen, no sul, e Dalian, no nordeste, também intensificaram as restrições contra a Covid-19 nesta semana, desde requisitos de trabalho em casa até o fechamento de atividades de entretenimento em alguns distritos.

As medidas restringem as atividades de dezenas de milhões de pessoas, intensificando os desafios para a China minimizar o impacto econômico de uma política de zero-Covid que manteve as fronteiras do país fechadas principalmente para visitantes internacionais à medida que outros países tentam viver com o coronavírus.

Dados divulgados nesta quinta-feira mostraram que a atividade industrial chinesa se contraiu pela primeira vez em três meses em agosto, em meio ao enfraquecimento da demanda, enquanto a escassez de energia e novos surtos de Covid-19 interromperam a produção.

A China continental não registrou nenhuma morte por Covid-19 desde maio, deixando o número de mortos em 5.226.

(Reportagem de Roxanne Liu, Ryan Woo, Ellen Zhang, Siyi Liu, Sophie Yu, David Kirton, Liz Lee e redação de Pequim)