Chile apoia governo Lula e convoca reunião urgente da OEA

O presidente do Chile, Gabriel Boric, manifestou seu firme apoio ao governo de Luiz Inácio Lula da Silva após a invasão, neste domingo (8), das sedes dos Três Poderes, em Brasília, por apoiadores do ex-presidente Jair Bolsonaro e solicitou uma reunião urgente na OEA para tratar do assunto.

Boric condenou veementemente a ação violenta registrada em Brasília: "Ataque absurdo aos três poderes do Estado brasileiro por parte dos bolsonaristas", escreveu em sua conta no Twitter.

"O governo brasileiro tem todo o nosso apoio diante desse ataque covarde e vil à democracia", acrescentou o presidente chileno.

A chancelaria chilena, também por meio do Twitter, chamou os incidentes de "ação antidemocrática" e informou que seu governo solicitou "a convocação de uma sessão extraordinária do Conselho Permanente da OEA (Organização dos Estados Americanos) para apoiar a democracia e o Estado de Direito no Brasil e em toda a região".

Centenas de apoiadores de Bolsonaro invadiram o Congresso Nacional, o Supremo Tribunal Federal (STF) e o Palácio do Planalto, na capital federal, em repúdio à posse de Luiz Inácio Lula da Silva como presidente em 1º de janeiro.

Em nota, o governo chileno expressou "sua confiança de que as instituições brasileiras sairão fortalecidas desse ataque das forças antidemocráticas".

"O Chile continuará trabalhando em conjunto com toda a região em defesa da democracia, promovendo a convocação dos mecanismos multilaterais correspondentes para analisar e responder a esta situação", concluiu a nota oficial.

ps/llu/am/mvv