Chile começará a aplicar 4ª dose de vacina anticovid na 2ª feira

·2 min de leitura
(Arquivo) Profissional de saúde prepara dose da vacina CoronaVac em Santiago, Chile, em 23 de dezembro de 2021 (AFP/JAVIER TORRES) (JAVIER TORRES)

O Chile iniciará a administração da quarta dose da vacina contra o coronavírus em pessoas imunodeprimidas na próxima segunda e, a partir de 7 de fevereiro, será a vez dos maiores de 55 anos, anunciou nesta quinta-feira (6) o presidente Sebastián Piñera.

O chefe de Estado fez esse anúncio no momento em que o país registra a cifra mais alta de casos diários de covid-19 nos últimos seis meses: 3.134 infectados e 30 mortes.

Com 87,2% da população maior de três anos vacinada com o esquema completo e 66,8% com a terceira dose de reforço, o Chile vinha mantendo números estáveis de novos contágios de coronavírus.

Contudo, o surgimento da variante ômicron fez o número de casos disparar, assim como vem acontecendo em grande parte do planeta. Diante disso, o governo considerou necessária a aplicação de uma quarta dose, segundo explicou o presidente Piñera em entrevista coletiva.

"Uma pessoa sem proteção completa tem seis vezes mais probabilidade de se infectar e 20 vezes mais de ser internada na UTI do que uma pessoa com a dose de reforço", disse o mandatário, ao acrescentar que a experiência mostra que a eficácia das vacinas e das doses de reforço diminui com o tempo, e que também há o surgimento de novas variantes.

A aplicação da quarta dose começará na segunda-feira com as pessoas imunodeprimidas a partir de 12 anos de idade. Em 7 de fevereiro, o reforço será estendido à população maior de 55 anos que tenha completado seis meses da última injeção.

"Felizmente, esta variante, apesar de ser muito mais contagiosa, também gera menos hospitalizações e é menos letal", afirmou Piñera.

O presidente exemplificou essa situação com a condição em que o país se encontrava em 8 de julho de 2021, quando foi registrada uma cifra diária de contágios similar à de hoje, em torno de 3.000.

Com a mesma quantidade de casos diários, 2.167 pessoas precisavam de ventilação mecânica em julho, enquanto hoje são 404. Além disso, o país registrava na época 186 mortes, enquanto hoje são apenas 30.

O Chile iniciou o seu processo de vacinação em 24 de dezembro de 2020. Até ontem, o país tinha administrado 44.743.849 doses, principalmente dos laboratórios Sinovac e Pfizer/BioNTech.

pa/lda/rpr/mvv

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos