Chile começa a vacinar adolescentes de 12 a 17 anos contra o coronavírus

·3 minuto de leitura
Presidente Sebastián Piñera acompanhou o início da vacinação em crianças de 12 a 17 anos contra a covid-19 (Foto: Reprodução)
Presidente Sebastián Piñera acompanhou o início da vacinação em crianças de 12 a 17 anos contra a covid-19 (Foto: Reprodução)
  • Chile começou a vacinar pessoas de 12 a 17 anos com comorbidades contra o coronavírus

  • No país, está sendo usado o imunizante da Pfizer para vacinar pessoas desta faixa etária

  • Em relação à população em geral, estão sendo vacinadas pessoas de 19 anos

Nesta terça-feira (22), o Chile começou a vacinar adolescentes de 12 a 17 anos contra o coronavírus com o imunizante da Pfizer. Inicialmente, podem tomar a vacina pessoas desta faixa etária com comorbidades, sob tutela do estado ou que frequentam centros de atenção à saúde mental. 

O evento de abertura da vacinação foi acompanhado pelo presidente do Chile, Sebastián Piñera. "Hoje, começamos a vacinar as crianças, os jovens do nosso país entre 12 e 17 anos. Por que isso é tão importante? Porque todos precisamos de proteção frente ao coronavírus", declarou. 

Leia também:

"Vamos começar hoje vacinando jovens que estão nos Sename (Serviço Nacional de Menores), nos centros colaboradores, nos centros de atenção à saúde e os jovens com comorbidades. Mas, o objetivo é vacinar todas as crianças e jovens entre 12 e 17 anos, porque já temos uma vacina que já está aprovada para cumprir esse papel", disse o presidente. 

A vacinação de pessoas com menos de 18 anos com a Pfizer foi aprovada pelo Instituto de Saúde Pública (ISP) do Chile no dia 31 de maio. Segundo Piñera, quando houve a aprovação do ISP, o país também vacinará crianças com menos de 12 anos. 

"As vacinas já provaram que são seguras e eficazes, e isso é importante. Porque, por exemplo, uma pessoa que tem seu processo de vacinação completo tem menos de um terço de chance de se contagiar e menos de um décimo da possibilidade de ser hospitalizado que uma pessoa que não se vacinou. Portanto, a vacina é segura, a vacina é eficaz, a vacina nos protege da pandemia", afirmou Sebastián Piñera. 

Também nesta terça, o país deu início à vacinação de pessoas de 19 anos sem comorbidades. Até o fim da semana, todas as pessoas com mais de 18 anos poderão começar o processo de imunização no país. Atualmente, o Chile tem usado as vacinas AstraZeneca, Pfizer, CoronaVac e CanSino, de dose única. 

Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.

O país tem 79% da população vacinada com uma dose da vacina e 63% já tomaram a segunda dose ou a vacina de dose única. Após uma alta no número de casos, o Chile vê os índices voltando a cair no país.

Ainda assim, Piñera lamentou os números de pessoas que poderiam ter se vacinado e ainda não o fizeram. São cerca de 2,5 milhões de residentes no Chile que ainda não se imunizaram contra a covid-19. "Isso significa um risco, não só para a saúde e para a vida das pessoas que poderiam ter se vacinado e não se vacinaram, mas também é um risco para todos que estão ao seu redor", afirmou. "Por isso, quero dizer de forma clara: a vacina é voluntária, mas todos temos a obrigação moral de tomá-la." 

Piñera informou que o país avalia a necessidade de dar uma terceira dose de vacina, mas explicou que ainda não há confirmação de que seja preciso reforçar a imunização daqueles que já se imunizarem.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos