Flores de cerejeira tingem Tóquio de rosa e fazem a alegria dos turistas

Tóquio, 26 mar (EFE).- As cerejeiras de Tóquio estão nesta segunda-feira no momento culminante de floração, um fenômeno que marca o início da primavera no país asiático e que atrai a cada ano milhões de turistas para contemplar a bucólica paisagem rosa.

As cálidas temperaturas que atingem o Japão no início da primavera anteciparam a floração das cerejeiras em quase todo o país e concretamente nove dias em Tóquio, onde a Agência Meteorológica de Japão detectou o florescimento das primeiras flores no dia 17 de março.

Milhares de japoneses festejaram hoje a plenitude da floração em Tóquio com a realização do "hanami", piqueniques que ocorrem sob estas árvores durante as duas semanas de duração do fenômeno, denominado "sakura" - que é também o nome japonês da cerejeira.

O parque de Ueno, que conta com 1,2 mil cerejeiras, ficou cheia de visitantes que passeavam e imortalizavam o momento com fotografias, imagens que foram vistas também durante o fim-de-semana.

Os japoneses não são os únicos que se sentem atraídos pelas cores da primavera e cada vez mais turistas viajam para o país asiático durante os meses de março e abril.

Em 2017, mais de 4,7 milhões de estrangeiros desembarcaram no arquipélago japonês entre ditos meses - o "sakura" costuma acontecer entre final do terceiro mês do ano e princípio do quarto -, o que supõe 13,9% a mais que no ano anterior, segundo dados da Organização Nacional de Turismo (JNTO) japonesa.

A fascinação dos japoneses pelas cerejeiras é tal que existem diversos aplicativos de internet que facilitam fazer um acompanhamento do "sakura", desde em que momento e local apareceram as primeiras pétalas até o efeito da pressão atmosférica nas delicadas flores, cuja vida é de apenas duas semanas.

Além de ser um fenômeno cultural e constituir uma das paisagens mais representativas do país asiático, o "sakura" é um ótimo momento para comércios e cadeias, que aproveitam esta época para comercializar produtos exclusivos criados para a ocasião. EFE