Chile convoca embaixador do Brasil depois de críticas de Jair Bolsonaro em debate

Presidente do Chile, Gabriel Boric, foi criticado por Jair Bolsonaro durante debate (Foto: JUAN BARRETO/AFP via Getty Images)
Presidente do Chile, Gabriel Boric, foi criticado por Jair Bolsonaro durante debate (Foto: JUAN BARRETO/AFP via Getty Images)

O Chile decidiu convocar o embaixador do Brasil em Santiago depois das críticas feitas por Jair Bolsonaro (PL) durante o debate entre presidenciáveis na noite do último domingo (28).

O presidente do Brasil acusou o mandatário chileno, Gabriel Boric, de “queimar o metrô” nos protestos que ocorreram no Chile em 2019. A informação da convocação do embaixador foi confirmada pela ministra de Relações Exteriores, Antonia Urrejola.

“Consideramos essas acusações gravíssimas. Obviamente são absolutamente falsas e lamentamos que em um contexto eleitoral as relações bilaterais sejam aproveitadas e polarizadas por meio da desinformação e das notícias falsas”, disse a ministra.

No debate, Bolsonaro disse que Lula apoiou Boric e questionou quais os rumos do país latino-americano. “Lula apoiou o presidente do Chile também. O mesmo que praticava atos de tocar fogo em metrôs lá no Chile. Para onde está indo o nosso Chile?”, disse o presidente brasileiro.

Em nota oficial, o ministério de Relações Exterior do Chile afirmou que considera as falas de Bolsonaro como “inaceitáveis e não condizem com o tratamento respeitoso que existe entre chefes de Estado nem com as relações fraternas entre os países latino-americanos”.

“O presidente Boric manifestou publicamente as diferenças que separam ele e o presidente Bolsonaro, mas, ao mesmo tempo, sinalizou a importância de manter boas relações entre os Estados do Brasil e do Chile”, diz o pronunciamento oficial.

O ministério pediu ainda que Brasil e Chile enfrentem juntos os enormes desafios da região de forma colaborativa.