Chile diz que dará asilo a político venezuelano se receber pedido

SANTIAGO (Reuters) - O governo do Chile irá conceder asilo a um político venezuelano da oposição que atualmente está na residência de seu embaixador em Caracas se ele o pedir, informou o ministro das Relações Exteriores chileno nesta quinta-feira.

Na quarta-feira, Roberto Enriquez e Eduardo Vetancourt, membros do Partido Social Cristão (Copei), de oposição, entraram na residência do embaixador chileno em Caracas e pediram proteção de seu governo.

    Mais cedo nesta semana, o vice-presidente do governista Partido Socialista Unido da Venezuela (PSUV), Diosdado Cabello, acusou a dupla de conspirar para derrubar o presidente da Venezuela, Nicolás Maduro. O Copei disse que os dois haviam sido presos por agentes da inteligência militar por acusações de "rebelião" e "traição".

    "Se ele pedir asilo político, daremos a ele... é uma situação humanitária", disse o chanceler chileno, Heraldo Muñoz, em um comunicado gravado aos jornalistas.

Não ficou claro de imediato se ele se referia a Enriquez, a Vetancourt ou a ambos.

    Na semana passada o Tribunal Supremo de Justiça da Venezuela criou polêmica ao anunciar que estava assumindo as funções da Assembleia Nacional, dominada pela oposição, uma manobra que foi parcialmente revertida mais tarde.

(Reportagem de Gram Slattery)