Chile endurece quarentena na capital após aumento de contágios de coronavírus

Uma enfermeira e um paciente em um elevador do Hospital Del Carmen, em Santiago, em 27 de abril de 2020, em meio à pandemia de COVID-19.

As autoridades de saúde do Chile intensificaram as medidas de confinamento obrigatório em Santiago nesta quarta-feira, diante do aumento de casos de coronavírus, totalizando 23.048 infectados e 281 mortes no país.

Na contramão do início da flexibilização do confinamento em outros países do mundo, e dois meses depois do primeiro caso relatado no Chile, 12 comunas de Santiago entrarão em quarentena obrigatória a partir da sexta-feira à noite.

Assim, cerca de 80% da população da capital chilena de sete milhões de habitantes estará em confinamento total.

A essas 12 comunidades somam-se outras 14 que já estavam em quarentena, algumas desde o início desta semana, quando o número de infecções começou a crescer acima de 1.000 casos por dia.

"É essencial que o número de casos em Santiago diminua rapidamente e a única maneira de fazer isso é através das medidas que indicamos, por mais dolorosas que sejam", disse o ministro da Saúde Jaime Mañalich, que pediu esse esforço para reduzir infecções na capital.