Chile expressa incômodo a Israel por negar entrada a chileno

(Arquivo) A bandeira do Chile, em Valparaíso, em 23 de novembro de 2014

O Chile expressou nesta quarta-feira seu mal-estar com Israel por negar a entrada em seu território do chileno Anuar Majluf, máximo representante no país sul-americano da comunidade palestina, a maior fora do território palestino.

Majluf, diretor da Federação Palestina do Chile, tentou entrar em Israel por uma passagem terrestre em 10 de abril junto com outros turistas chilenos que pretendiam visitar as cidades de Belém e Beit Jala durante a Semana Santa, indicou um comunicado da chancelaria chilena.

"O governo do Chile expressou à embaixada de Israel em nosso país seu incômodo diante desta situação, baseada na recente legislação contra o BDS [boicote, desinvestimento e sanções] adotada pelo Parlamento de Israel e manifesta que situações desta natureza não deverão se repetir".

Em um comunicado divulgado no site, a embaixada de Israel justificou a decisão acusando Majluf de realizar "declarações e atuações incitando o ódio, pedindo que rompam relações diplomáticas, obstaculizando os projetos de cooperação bilateral e exercendo pressão indevida para frear o investimento israelense no Chile".

Majluf servia de guia a um grupo de turistas que entraram em Israel e na Palestina, todos eles de idade avançada e que visitavam familiares.

A colônia palestina no Chile é de 300.000 pessoas, sendo a maior fora dos territórios palestinos.

O Chile reconheceu a Palestina como Estado em 2011.