Chile inclui jornalistas em calendário de vacinação contra a covid-19

Anita Efraim
·2 minuto de leitura
SANTIAGO, CHILE - MARCH 19: A health worker applies the Sinovac vaccine on March 19, 2021 in Santiago, Chile. The Andean country already inoculated over 5.5 million people, which represents 18% of its population.  (Photo by Marcelo Hernandez/Getty Images)
Chile já aplicou 9,4 milhões de doses da vacina contra a covid-19. São 6,2 milhões de pessoas imunizadas com pelo menos uma dose (Foto: Marcelo Hernandez/Getty Images)

A partir da próxima segunda-feira (29), o Chile vai começar a vacinar jornalistas e funcionários de meios de comunicação que trabalham “em campo”, ou seja, na rua. 

Segundo o novo calendário de imunização, com datas entre 29 de março e 1º de abril, serão vacinados profissionais de veículos de comunicação com menos de 34 anos. Ao mesmo tempo, também serão vacinadas pessoas de 56 a 52 anos ao longo da próxima semana.

A vacinação com a segunda dose continua acontecendo no país, além da imunização de mesários que trabalharão nas eleições para a assembleia constituinte. O pleito acontece nos dias 10 e 11 de abril.

Leia também:

Vacinação no Chile

O país já aplicou 9,4 milhões de doses de vacinas contra a covid-19, sendo 6,2 milhões de pessoas com a primeira dose, equivalente a 39% da população alvo. Entre esses, 3,2 milhões já receberam a imunização completa.

O objetivo do governo chileno é vacinas 15 milhões de residentes até 30 de junho. O imunizante mais usado no país é a CoronaVac, mas também são aplicadas doses da Pfizer. No total, o Chile já receber 13 milhões de doses das vacinas.

Professores e profissionais da saúde

Os profissionais de saúde foram os primeiros a serem vacinados no país, mesmo antes do início do processo de imunização em massa. Até o momento, 664 mil pessoas que trabalham na área já foram imunizadas.

Os professores e profissionais da área da educação também já puderem ser imunizados. No total, 339 mil pessoas que trabalham com educação se vacinaram no país.

Lockdown em Santiago

A partir do próximo sábado (26), Santiago, capital do Chile, entrará em lockdown. Grande parte da cidade já vive medidas rígidas de confinamento e, nesta quinta-feira (25), o Ministério da Saúde do Chile anunciou que o restante da capital seguirá o mesmo caminho.

Outras 17 regiões chilenas entrarão em lockdown no sábado, somando-se aos locais que já viviam o confinamento.

Segundo informações do ministro da Saúde, Enrique Paris, o país está com 95% dos leitos de UTI ocupados, com pacientes com covid-19 ou outras doenças. Restam 182 camas disponíveis para serem usadas para casos graves em todo o Chile.

No Chile, o tempo mínimo de lockdown para as regiões do país é de duas semanas. Com isso, as regiões que entram em quarentena no próximo sábado estariam liberadas em 10 de abril, primeiro dia da eleição para a assembleia constituinte. No dia 11, o pleito continua.