Chile libera deslocamentos internos de vacinados, mas prorroga fechamento de fronteiras

·1 minuto de leitura
Vacinação contra a Covid-19 em Villa Alemana, no Chile

SANTIAGO (Reuters) - O Chile permitirá a partir desta semana maior liberdade de deslocamento pelo país às pessoas vacinadas contra a Covid-19, embora elas tenham que seguir cumprindo o restante das medidas sanitárias de prevenção, informaram nesta segunda-feira autoridades do governo.

Pessoas que tenham tomado as duas doses de vacinas poderão transitar por diferentes municípios mesmo sob quarentena parcial ou total, algo que até agora era restrito, e se deslocar entre regiões do país.

No entanto, as autoridades estenderam a proibição de viagens internacionais e de chegadas ao país até o dia 15 de junho.

"Esta autorização não dá benefícios, apenas exime de certas restrições a pessoas que já tenham se vacinado e que portanto representam um menor risco para outros e para si mesmos", disse o ministro porta-voz do governo, Jaime Bellolio.

O Chile vacinou 9,6 milhões de pessoas com pelo menos a primeira dose contra a Covid-9, enquanto 7,7 milhões já receberam as duas doses. O país tem uma população total de 19 milhões.

Bellolio disse que a autorização será dinâmica, verificável através de um código QR, que poderá se tornar inválido caso a pessoa seja infectada com a Covid-19 ou tenha contato próximo com algum infectado.

(Reportagem de Fabián Andrés Cambero)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos