Chile recebe 11.700 doses de 2o carregamento de vacinas anticovid

·2 minuto de leitura
Profissional de saúde recebe a vacina contra o coronavírus da Pfizer/BioNTech, no Hospital Posta Central, em Santiago, Chile, em 24 de dezembro de 2020

O Chile recebeu 11,7 mil doses de vacinas contra o coronavírus nesta quinta-feira (31), na segunda remessa dos laboratórios da Pfizer/BioNtech que chega em uma semana a este país de 18 milhões de habitantes, um dos mais atingidos pela pandemia neste ano.

Este novo lote de vacinas se soma às 10.000 recebidas em 24 de dezembro e que, ao longo da semana, foram injetadas em profissionais de saúde de hospitais públicos de Santiago e regiões do sul do Chile.

Essas vacinas "vão servir para dar tranquilidade e proteger todos os chilenos", afirmou o presidente Sebastián Piñera, ao receber o carregamento no aeroporto internacional de Santiago junto com o chanceler Andrés Allamand e com o ministro da Saúde, Enrique Paris.

Estas novas doses serão distribuídas em cinco regiões do norte, centro e sul do país, onde várias cidades e comunas aparecem neste final de ano como as mais afetadas por um novo surto do vírus.

O presidente chileno garantiu que o processo realizado com a compra de várias marcas de vacinas - algumas ainda em fase de licenciamento em seus países de origem - não vai parar até "vacinar todas as pessoas que quiserem ser vacinadas".

O Chile fecha um 2020 difícil, em que a pandemia derrubou os indicadores econômicos a níveis históricos, não houve aulas presenciais em nenhum nível educacional, a população viveu confinamentos seletivos e obrigatórios que estiveram entre os mais longos do mundo, toques de recolher e fronteiras quase fechadas.

Em nove meses de covid-19 no país, são mais de 600 mil pessoas infectadas e 16.499 óbitos confirmados, ou quase 22 mil, conforme o relatório epidemiológico semanal do Ministério da Saúde, que inclui casos suspeitos.

O Chile planeja vacinar 15 milhões dos 18 milhões de habitantes do país ainda no primeiro semestre de 2021. As primeiras doses foram destinadas a quase 9.000 profissionais de saúde que atuam em Unidades de Tratamento Intensivo com pacientes críticos.

pb/rsr/tt