Chile recomenda que vacina de Oxford seja aplicada em mulheres com mais de 55 anos

Anita Efraim
·2 minuto de leitura
A health worker administers a dose of the Chinese CoronaVac vaccine against COVID-19 to a man at a vaccination centre in Santiago, on March 30, 2021. - Chile announced on Tuesday that it received 1.8 million doses of the vaccine against covid-19 from the Chinese laboratory CanSino, in addition to the 35 million that the government has already agreed with other firms to advance its broad immunization process. Almost 16 million people, about 80% of the population, began a new quarantine in Chile due to a sharp increase in new cases of Covid-19, despite an impressive vaccination campaign. (Photo by Martin BERNETTI / AFP) (Photo by MARTIN BERNETTI/AFP via Getty Images)
Por casos de trombose, Chile recomenda uso da vacina Oxford/AstraZeneca para mulheres com mais de 55 anos (Foto: MARTIN BERNETTI/AFP via Getty Images)
  • Autoridades do Chile recomendam que vacina Oxford/AstraZeneca seja aplicada em mulheres com mais de 55 anos

  • Homens de todas as idades podem receber o imunizante

  • Vacinas Oxford/AstraZeneca devem chegar ao Chile esta semana

O Instituto de Saúde Pública (ISP) do Chile fez uma recomendação para o uso da vacina Oxford/AstraZeneca: o imunizante deve ser aplicado em mulheres com mais de 55 anos e em homens a partir dos 18 anos.

A determinação partiu da área de Farmacovigilância da Agência Nacional de Medicamentos do país, após os casos notificados de formação de coágulos em mulheres que receberam o imunizante.

O ISP informa que a taxa de casos de trombose vinculados à vacina é muito baixa, de 86 casos em 25 milhões de pessoas vacinadas. A maior parte das ocorrências foi em mulheres com menos de 55 anos. Ainda assim, o Instituto de Saúde Pública chileno garantiu que vai continuar analisando a investigação sobre a vacina Oxford/AstraZeneca.

Leia também

Aprovação e chegada da vacina no Chile

Medical syringes are seen with AstraZeneca and University of Oxford logos displayed on a screen in the background in this illustration photo taken in Krakow, Poland on April 14, 2021. (Photo by Jakub Porzycki/NurPhoto via Getty Images)
Vacina Oxford/AstraZeneca deve chegar ao Chile ainda nesta semana (Foto: Jakub Porzycki/NurPhoto via Getty Images)

O Instituto de Saúde Pública do Chile aprovou o uso da vacina de Oxford em 27 de janeiro. A expectativa é que as primeiras doses do imunizante cheguem ao país ainda nesta semana.

As vacinas Oxford/AstraZeneca que chegarão ao Chile fazem parte do consórcio Covax. O Chile participou dos estudos de fase três do imunizante.

O diretor do ISP, Heriberto García, tranquilizou a população em relação ao imunizante. “Os estudos feitos na Europa demonstram que o número de casos de trombose notificados após a vacinação, em relação ao número de vacinados, é melhor que o número de casos na população geral”, explicou.

“Por isso, não se considera que a vacina esteja associada com o aumento do risco de casos de trombose. No caso do Chile, não foi reportado nenhum caso durante os estudos clínicos da fase três da vacina.”

Vacinação no Chile

Até o momento, o Chile está imunizando a população majoritariamente com a vacina CoronaVac, produzida pelo laboratório chinês SinoVac. A vacina da Pfizer também é usada, mas em menor escala.

Até o momento, o país aplicou 13,1 milhões de doses da vacina e tem 50,9% da população vacinada com pelo menos uma dose, enquanto 35,7% dos chilenos já receberam as duas doses.

O índice de vacinados com mais de 80 anos está em 83,8%. Na faixa etária entre 65 e 79 anos, o índice de vacinação é de 86%. Atualmente, o país está vacinando pessoa com 48 anos.