Chile registra segundo caso de cepa britânica do coronavírus

·2 minuto de leitura
(Arquivo) O presidente do Chile, Sebastián Piñera

As autoridades de saúde do Chile registraram nesta segunda-feira (4) um segundo caso da nova cepa britânica do coronavírus em um passageiro que chegou ao país no mesmo voo de 22 de dezembro, onde foi detectado o primeiro caso desta variante. 

O novo infectado corresponde a um passageiro de um voo Iberia que chegou ao Chile de Madri em 22 de dezembro.

O primeio caso foi uma mulher chilena que também chegou de Madri depois de passar por Dubai e Londres. No aeroporto de Santiago, fez um teste de PCR e, sem saber o resultado, pegou outro avião para Temuco, no sul do país.

"Detectamos um novo caso de contágio de coronavírus com a variante britânica", anunciou em coletiva de imprensa nesta segunda-feira o ministro da Saúde, Enrique Paris.

Esta última confirmação foi registrada na região de El Maule, a cerca de 350 km ao sul de Santiago. É um paciente assintomático e que se mantém hospitalizado preventivamente, acrescentou o ministro.

Os dois contágios motivaram as autoridades a modificar o protocolo de entrada no país. A partir de 7 de janeiro, exigirão um teste de PCR com pelo menos 72 horas de antecedência à entrada ao país e permanecer em quarentena por 10 dias. Até agora, o teste não era exigido aos chilenos ou estrangeiros residentes.

As novas medidas foram anunciadas em meio a um aumento sustentado dos novos casos no Chile.

Segundo o relatório desta segunda-feira, na última semana em nível nacional os casos aumentaram 32%, totalizando 620.641 infectados e 16.767 mortos confirmados desde o primeiro caso detectado no país em 3 de março passado.

O Chile cancelou em 20 de dezembro os voos do Reino Unido e proibiu a entrada de estrangeiros que estiveram nos últimos 14 dias nesse país europeu após a aparição da nova cepa de covid-19.

pa/pb/gma/aa