Chile supera um milhão de pessoas vacinadas contra covid-19

·2 minuto de leitura
Uma vacina AstraZeneca/Oxford prestes a ser injetada em um hospital perto de Paris em 7 de fevereiro de 2021

O Chile ultrapassou um milhão de pessoas vacinadas contra covid-19 nesta terça-feira (9), seis dias após o início do processo de imunização em massa em idosos, que se juntaram aos funcionários da saúde já vacinados desde dezembro, informou o Ministério da Saúde.

O país conseguiu vacinar um total de 1.025.580 pessoas, das quais 376.519 têm mais de 78 anos, que iniciaram o processo de imunização em massa há seis dias graças à aquisição de quatro milhões de doses do laboratório chinês Sinovac, informou o Ministério da Saúde.

“Hoje ultrapassamos um milhão de vacinados. Temos um milhão de motivos, a maioria deles adultos, para ficarmos contentes”, declarou o presidente do Chile, Sebastián Piñera, em sua conta oficial no Twitter.

O Chile superou 550.000 inoculações no último sábado. A meta do governo é vacinar cinco milhões de pessoas até o final de março e atingir 15 dos 18 milhões de habitantes até julho de 2021.

O processo tem sido realizado com celeridade e, nesta terça-feira, 222.070 pessoas foram vacinadas, entre idosos, trabalhadores com funções de serviço essencial e básico do Estado, funcionários de farmácia e laboratório, além de integrantes das Forças Armadas e Policiais destacados para lidar com surtos da pandemia.

O Chile começou a imunizar funcionários da saúde em dezembro, quando recebeu um primeiro lote de 154.000 doses das vacinas Pfizer / BioNtech contra o coronavírus, que já infectou mais de 758.000 pessoas e deixou mais de 19.000 mortes no país.

O processo de imunização começou nesta terça na Ilha de Páscoa, território de ilha turística localizada em pleno Oceano Pacífico a 3.700 quilômetros do Chile continental, onde 120 pessoas foram vacinadas em um primeiro dia após a chegada de um lote de 1.200 medicamentos de Sinovac.

As autoridades da ilha indicam que não registram casos de covid-19 há mais de 300 dias devido à proibição da entrada de turistas.

O Chile fechou acordos para comprar cerca de 36 milhões de doses com Pfizer, Sinovac, Johnson & Johnson e AstraZeneca. Por enquanto, não há acordo com a Moderna e o país não descarta buscar vacinas russas Sputnik V.

msa/rs/am/mvv