Chile torna obrigatório uso de máscaras no transporte público e privado

Governo não especificou que tipo de máscara deve ser usado nos transportes, mas nessa semana, incentivou que a população adote as máscaras caseiras (Foto: AP Photo/Ross D. Franklin)

A partir de quarta-feira, qualquer um que pegar transporte público ou remunerado no Chile terá de usar máscaras para evitar a infecção pelo novo coronavírus. O anúncio foi feito na última segunda-feira e vale para metrô, trens, ônibus e também para táxis, transporte aéreo e marítimo remunerado.

E nos siga no Google News:

Yahoo Notícias | Yahoo Finanças | Yahoo Esportes | Yahoo Vida e Estilo

Paula Daza, subsecretária de Saúde Pública do Chile, não especificou que tipo de máscara deve ser usada nesses casos. No entanto, a decisão foi tomada um dia depois de o ministério da Saúde recomendar o uso de máscaras caseiras em todas as ocasiões, como uma forma de diminuir a probabilidade de contágio.

Isso porque, assim como em outros lugares do mundo, as máscaras cirúrgicas já não são encontradas facilmente em farmácias. O governo, inclusive, publicou um tutorial ensinando como fazer máscaras caseiras.

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 min e receba todos os seus emails em 1 só lugar

Até a última segunda-feira, o Chile registrava 4.815 casos confirmados, 344 nas 24 horas anteriores. São 37 mortes por COVID-19. O país tem quarentena obrigatória em algumas regiões, nas quais é necessário ter autorização para circular pelas ruas.

A fiscalização será feita pela autoridade sanitária chinela. Quem descumprir a medida será multado e os valores podem varias de 5 mil a 50 milhões de pesos chilenos. Em entrevista ao canal T13, a ministra dos Transportes, Gloria Hutt, afirmou que é preciso contar não só com os fiscais, mas com a ajuda de toda a população.

Leia também

Caso os motoristas vejam algum passageiro sem máscara, podem pedir para que as pessoas saiam do transporte. “Eu daria respaldo a quem tomasse essa decisão, porque estaria contribuindo para que se cumpra a determinação da autoridade sanitária”, disse a ministra.

Há ainda a expectativa de que o governo restrinja o uso do transporte público para frear o número de casos no país.