Chile ultrapassa 4 milhões de vacinados, equivalente a 25% da população

Anita Efraim
·3 minuto de leitura
A nurse inoculates a differently abled woman against COVID-19 at her home of La Florida municipality in Santiago, on March 01, 2021. - Chile managed to inoculate 18% of its population with at least one dose of vaccine against COVID-19 and is among the first five countries in the world to do so. (Photo by MARTIN BERNETTI / AFP) (Photo by MARTIN BERNETTI/AFP via Getty Images)
Chile já vacinou 4,2 milhões de pessoas, mas ainda não sente efeitos na diminuição de números (Foto: MARTIN BERNETTI/AFP via Getty Images)

O Chile segue em ritmo acelerado da vacinação contra a covid-19. Nesta sexta-feira, 5, o país ultrapassou a marca de 4 milhões de pessoas vacinadas com pelo menos uma dose do imunizante. O número total, de 4,27 milhões, equivale a 24,8% da população que pode receber a vacina, ou seja, a partir dos 16 anos.

Enquanto 3,89 milhões de pessoas receberam uma dose da vacina, outras 375 mil já receberam as duas. Entre os idosos com mais de 80 anos, 77,9% já receberam o imunizante, enquanto entre aqueles que tem de 65 a 79 anos o índice está em 78,6%.

Leia também

O Ministério da Saúde do Chile ainda divulgou que 570 mil profissionais da saúde foram imunizados e 278 mil profissionais da educação já receberam pelo menos uma dose da vacina. Os professores e funcionários de escolas foram incluídos entre as prioridades. Até essa sexta-feira, todos podem receber a primeira dose da vacina.

Segundo o calendário do país, hoje o ministério vacina também todos os chilenos com mais de 60 anos, com ou sem comorbidades, além de pacientes transplantados, pessoas que realizam hemodiálise, pacientes com doenças autoimunes e aqueles que passam por tratamento de câncer.

O país usa as vacinas CoronaVac e a da Pfizer/BioNTech, mas a maior parte dos imunizantes é da farmacêutica SinoVac. A expectativa do país é, até o fim de março, somar 10 milhões de doses da CoronaVac. O Chile ainda vive a expectativa de conseguir o uso emergencial da vacina da Janssen, da Johnson&Johnson, que já foi aprovada nos Estados Unidos. O governo chileno já tem acordo de compra de doses do imunizante.

Os acordos com as farmacêuticas foram feitos de forma precoce, ainda no primeiro semestre de 2020. Por isso, o país conseguiu garantiu um número alto de doses para imunizar a população. A expectativa é terminar de vacinar todos os chilenos até 30 de junho.

Caso o país consiga atingir o objetivo, pensa em ajudar outros países da América Latina e do Caribe. “Estamos nos reunindo com outros ministros da América Latina e do Caribe e a ideia é que haja uma cooperação entre todos os países. Temos oferecido colaboração em alguns assuntos, como registro de imunizantes, e estamos dispostos a continuar colaborando”, declarou Enrique Paris, ministro da Saúde do Chile. “Pessoalmente, acredito que deva ter solidariedade. Não podemos nos salvar sozinhos, pelo contrário. Temos que salvar a todos, estar unidos, porque o vírus vai continuar se expandindo.”

A partir da próxima segunda-feira, 8, começa a imunização de pessoas com comorbidades entre 46 e 58 anos, além de pessoas com deficiência na mesma faixa etária. Enquanto isso, aqueles que receberam a primeira dose podem receber a segunda.

Apesar do bom ritmo da vacinação, os efeitos ainda não começaram a ser sentidos no país. Na última quinta-feira, 4, foram registados 4.567 novos casos de coronavírus e 134 mortes pela covid-19, somando 20.838 vítimas da doença. Atualmente, o país tem 25 mil casos ativos. A taxa de positividade dos exames RT-PCR no país está em 8,3%.