Líderes da UE reafirmam em Roma compromisso de avançar no projeto europeu

Roma, 25 mar (EFE).- Líderes de 27 países da União Europeia (UE), todos exceto o Reino Unido, assinaram neste sábado, por ocasião do 60ª aniversário do bloco, a Declaração de Roma, que ressalta a unidade e a indivisibilidade dos países-membros e a vontade de seguir avançando no projeto europeu.

Além dos líderes da UE, assinaram o documento os presidentes do Conselho Europeu, Donald Tusk, da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker, e da Eurocâmara, Antonio Tajani.

"Atuaremos juntos, em diferentes ritmos e com distinta intensidade quando seja necessário, enquanto avançamos na mesma direção, como fizemos no passado, em conformidade com os tratados e mantendo as portas abertas aos que queiram se unir mais adiante. Nossa união é indivisível", ressalta o texto da Declaração de Roma.

O documento cita os "desafios sem precedentes" dos 27 países-membros da UE, incluindo os "conflitos regionais, o terrorismo, as pressões migratórias crescentes, o protecionismo, e as desigualdades sociais e econômicas".

"Juntos estamos decididos a fazer frente aos desafios de um mundo em rápida mutação e a brindar nossos cidadãos tanto com segurança como com novas oportunidades", acrescenta o texto.

A declaração deixa claro, além disso, o empenho dos países de fazer uma "União Europeia mais forte e resiliente, mediante uma unidade e uma solidariedade ainda maiores entre nós".

"A unidade é uma necessidade e nossa livre escolha", indicou o texto, que lembra com orgulho as conquistas da UE, classificadas de um "empenho valente e de ampla perspectiva".

Nesse contexto, a Declaração de Roma avalia a construção de uma "União única com instituições comuns e valores firmes, uma comunidade de paz, liberdade, democracia, direitos humanos, Estado de direito, um importante poder econômico com níveis de proteção social e bem-estar sem precedentes".

"A União Europeia, que se iniciou como o sonho de poucos, se transformou na esperança de muitos. Nesse momento, a Europa voltou a ser uma só. Hoje, estamos unidos e somos mais fortes: centenas de milhões de pessoas em toda Europa se beneficiaram de vier em uma União ampliada que superou as velhas fraturas", afirmou o texto. EFE