China confina 1 milhão de pessoas por conta de quatro casos de covid-19

Homem joga desinfetante em profissionais de saúde vestidos com roupas de proteção em Pequim, na China (Foto: Kevin Frayer/Getty Images)
Homem joga desinfetante em profissionais de saúde vestidos com roupas de proteção em Pequim, na China (Foto: Kevin Frayer/Getty Images)

A cidade de Wuhan, na China, fechou um distrito de quase um milhão de pessoas após diagnosticar quatro casos assintomáticos de covid-19. Isso acontece porque a região, considerado o epicentro da pandemia, não quer arriscar viver outro surto da doença.

De acordo com informações da CNN Internacional, as autoridades do distrito de Jiangxia, que abriga mais de 970.000 pessoas, anunciaram nesta quarta-feira (27) que suas principais áreas urbanas aplicarão três dias de “medidas restritivas temporárias”. Veja as atividades interrompidas e os locais fechados:

  • Locais de entretenimento, como bares, cinemas e cafés;

  • Pequenas clínicas, mercados de produtos agrícolas e locais de culto;

  • Atividades religiosas;

  • Jantares em restaurantes e grandes reuniões;

  • Instituições de ensino e atrações turísticas.

Além disso, ainda segundo a CNN Internacional, todos os transportes públicos foram suspensos. Os moradores não podem deixar o distrito, a menos que seja absolutamente necessário.

Comunicado divulgado pelas autoridades chinesas explicas que as medidas pretendem “reduzir ainda mais o fluxo de pessoas, diminuir o risco de infecção cruzada e atingir a dinâmica zero Covid no menor tempo possível”.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos